F1
22/11/2016 17:49

Ecclestone sai em defesa da permanência de Nasr no grid da F1 em 2017: “Precisamos de um brasileiro”

A situação de Felipe Nasr para 2017 chamou a atenção de Bernie Ecclestone, o homem forte da F1. O dirigente demonstrou apoio ao jovem piloto e disse que o Mundial precisa de um brasileiro no grid
Warm Up / Redação GP, de Curitiba
 Felipe Nasr (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
 

Não há dúvidas de que a saída de Felipe Massa da F1 ao fim desta temporada vai deixar uma lacuna importante no grid, mas o Brasil ainda pode ficar sem nenhum representante no próximo ano. A questão toda envolve as negociações de Felipe Nasr para seguir no Mundial. O piloto de 24 anos ainda tem o futuro incerto porque seu maior patrocinador, o Banco do Brasil, ainda não decidiu se vai ou não continuar o apoiando. Felipe, porém, tem um aliado de peso: Bernie Ecclestone.
 
Em declaração à revista alemã 'Auto Motor und Sport', o chefão da F1 reiterou que a maior das categorias precisa de um nome brasileiro, mas que a atual situação também não é fácil. "Precisamos de um brasileiro, até agora sempre houve um representante, isso durante décadas. Mas que equipes ainda tem lugares livres? Sauber e Manor, mas aí não dá para ter sucesso", disse o dirigente inglês de 86 anos.
 
Entende-se que Nasr segue na briga pela segunda vaga na equipe suíça, que, nesta segunda-feira, anunciou a renovação de contrato com Marcus Ericsson. Só que a indefinição com relação aos planos do Banco do Brasil tem atrasado as conversas.  Ainda, de acordo com reportagem da ‘Folha de S. Paulo’ no fim de semana, o banco optou por não renovar seu vínculo com a Sauber, o que coloca em risco a permanência do brasiliense no campeonato.
Bernie Ecclestone disse que F1 precisa de um brasileiro no grid (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Por isso, o assento da Sauber também tem outros pretendentes. Segundo matéria da revista inglesa 'Autosport', Pascal Wehrlein agora aparece como favorito à vaga, apoiado pela força da Mercedes. Ainda, o chefe Toto Wolff teve um encontro, em Interlagos, com Kaltenborn, na tentativa de costurar um acordo para a contratação do jovem alemão.
 
Além de Pascal, o indonésio Rio Haryanto também está atrás da vaga da Sauber, assim como o mexicano Esteban Gutiérrez, que foi dispensado da Haas neste mês. Entende-se, entretanto, que Gutiérrez seja o piloto com menos chances na equipe de Hinwil.
 
Nasr segue tendo um bom relacionamento na Sauber e é seu desejo continuar no time. O brasileiro é o responsável pelos dois pontos conquistados pela esquadra neste ano, com o nono lugar no GP do Brasil. Se a escuderia mantiver a atual posição no Mundial de Construtores, o décimo lugar deve garantir uma premiação de aproximadamente US$ 20 milhões (cerca de R4 68 milhões).