F1

Em 2016, Hamilton fechou Ricciardo após cometer erro no GP de Mônaco, mas escapou sem punição

Há pouco mais de três anos, Lewis Hamilton escapou de perder a vitória no GP de Mônaco depois de ter se livrado de uma punição pelos comissários de prova após cometer erro muito semelhante ao de Sebastian Vettel no GP do Canadá do último domingo

Grande Prêmio / FERNANDO SILVA, de Sumaré
A polêmica punição imposta pelos comissários de prova do GP do Canadá a Sebastian Vettel no último domingo (9), fato que levou o alemão a ter 5s acrescidos ao seu tempo total de corrida, o que deu a vitória em Montreal a Lewis Hamilton, mostra o quanto as interpretações do regulamento são muito subjetivas e, muitas vezes, decisões em situações praticamente idênticas podem ter desfechos bem distintos. Foi o que aconteceu há quase três anos, no GP de Mônaco de 2016.
 
Naquela oportunidade, Lewis Hamilton era o líder da corrida e se defendia da pressão imposta por Daniel Ricciardo — em segundo lugar depois da ‘cochilada’ da Red Bull no pit-stop do australiano. No entanto, na volta 37, o britânico cometeu um erro na chicane do Porto e, para defender a liderança, fechou Ricciardo, que quase tocou no guard-rail.
 
O então piloto da Red Bull esbravejou pelo rádio e gesticulou, cobrando uma punição a Hamilton. O incidente entrou sob investigação dos seguintes comissários em ação no GP de Mônaco: Garry Connelly, José Abed, Christian Calmes e Emanuele Pirro, este também presente à mesa dos comissários do GP do Canadá do último domingo.

 
À época, o fato alegado para o incidente ter entrado sob investigação foi que Hamilton “aparentemente não deixou espaço suficiente enquanto defendia uma posição na curva 11”. Entretanto, o britânico foi absolvido porque, na visão dos comissários, ele “deixou pelo menos um espaço da largura de um carro entre o seu e a beira da pista.
 
A respeito da manobra de Vettel no último domingo, bastante semelhante a de Hamilton há três anos, o fato foi encarado de outra forma pela mesa de comissários composta por, além de Pirro, Gerd Ennser, Mathieu Remmerie e Mike Kaerne: “O carro #5 saiu da pista, voltou de forma insegura e forçou outro carro a sair da pista”.
 
Contudo, a decisão dos comissários acabou sendo bem mais rigorosa com Vettel. “Os comissários revisaram o vídeo e determinaram que o carro 5, que escapou da pista na curva 3, voltou à pista na curva 4 de maneira insegura e forçou o carro 44 a ir para fora da pista. O carro 44 teve de tomar ações evasivas para evitar uma colisão”.
 
Três anos depois, incidente semelhante ao de Hamilton em Mônaco fez Sebastian sofrer a punição que determinou a maior polêmica até aqui na temporada 2019 da F1 e perder o que seria sua primeira vitória em um ano marcado por dificuldades. O alemão ganhou a corrida na pista, mas a punição fez Hamilton levar o troféu de vencedor, ainda que tenha se mostrado constrangido ao receber o prêmio em Montreal. 
 



Paddockast #21
A primeira vez a gente nunca esquece: as vitórias dos maiores nomes do esporte



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.