Em alerta por coronavírus, Melbourne já considera cancelar GP da Austrália

Segundo Brett Sutton, diretor de saúde do estado de Victoria, onde está localizada a cidade de Melbourne, há grande preocupação sobre os funcionários de Haas e McLaren testarem positivo para o coronavírus. Nesta quinta-feira (12), Guenther Steiner confirmou que um engenheiro e três mecânicos da equipe americana foram colocados em quarentena com sintomas da doença

GUIA 2020
_Coronavírus e polêmica no caso FIA/Ferrari abrem ano de espera por revolução

No fim de semana de abertura da temporada 2020, o coronavírus é o grande assunto da F1 em Melbourne, palco do GP da Austrália. Ainda que a movimentação por parte do público seja reportada como normal na última quarta-feira, há um clima de incerteza no ar, sobretudo depois que funcionários de Haas e McLaren foram colocados em quarentena por estarem com sintomas do Covid-19. Nesta quinta-feira (12), a equipe norte-americana informou que são quatro os membros da equipe isolados, sendo um engenheiro e três mecânicos. A informação fez com que Brett Sutton, diretor de saúde do estado de Victoria, onde está localizada Melbourne, falar até em cancelamento da corrida no domingo.

 
Em entrevista à emissora local de rádio ‘3AW’, Sutton, que ainda não tinha conhecimento dos outros dois casos da Haas, se mostrou preocupado com a situação e o risco de o coronavírus se alastrar em meio ao paddock da F1 no circuito de Albert Park.
 
“Acho que, quanto a esses três membros das equipes, se eles testarem positivo, precisamos considerar o que isso significa para seus contatos próximos e, se eles tiverem vários contatos próximos entre várias equipes, então essas pessoas precisam ficar em quarentena”, declarou.
Vista aérea do Albert Park, casa da F1 na Austrália (Foto: Red Bull/Divulgação)
A autoridade máxima de saúde do estado de Victoria deixou claro que o cancelamento do GP da Austrália é uma opção. “Se isso efetivamente interromper a corrida, que assim seja, faremos isso”, disse.
 
A última quarta-feira marcou mais uma série de anúncios sobre eventos esportivos cancelados ou adiados. A NBA, por exemplo, decidiu suspender, até segunda ordem, a temporada em razão do diagnóstico positivo do pivô francês Rudy Gobert, do Utah Jazz, para coronavírus. O GP da Argentina de MotoGP foi transferido para o fim do ano, adiando assim o início da temporada para maio. Segundo o site norte-americano ‘Motorsport.com’, os ePs de Seul e Paris da Fórmula E também vão ser adiados, levando a sequência do campeonato para maio.
 
McLaren e Haas não comentaram o andamento dos testes com seus respectivos funcionários, contudo afirmaram que aguardam pela confirmação dos resultados para, no mais tardar, para esta quinta-feira. Sutton afirmou que vai entrar em contato direto com as autoridades locais para acelerar os testes com os membros das equipes.
 
“Se esses testes em particular estiverem sendo realizados e não conseguirmos um resultado… Vou acompanhar para assegurar que haja um resultado hoje porque precisamos que eles conheçam as implicações para todos os outros membros”, disse o australiano, em alerta.
 
Ao mesmo tempo em que mostra grande preocupação com o risco do coronavírus se espalhar no paddock da F1, Sutton concorda com a organização do GP da Austrália e negou a possibilidade de restringir o acesso dos fãs a Albert Park.
 
“Não acho que as multidões sejam o problema aqui. Acho que a segregação das equipes, uma das outras, e também do público, é muito importante, mas o público [do GP] é como qualquer outra reunião de massa. 300 mil pessoas vêm todos os dias à cidade para trabalhar, isso é uma reunião de massa. O transporte público é uma reunião de massa todos os dias”, concluiu.
 
No momento, a Austrália registra 128 casos confirmados para coronavírus. Uma delas é o ator Tom Hanks, que está no país para a gravação de um filme sobre Elvis Presley. Ao todo, há a confirmação de três vítimas fatais do Covid-19. 21 pacientes já se encontram recuperados.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL todo o fim de semana do GP da Austrália de F1. Siga tudo aqui.

Paddockast #51
QUEM VENCEU DRIVE TO SURVIVE 2

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube