F1
26/02/2018 04:07

Em Barcelona, Force India revela VJM11 ainda rosa para tentar manter posto de ‘melhor do resto’ na F1

Pouco antes do início da pré-temporada, a Force India mostrou o VJM11 ao mundo. Com o novo carro, a equipe anglo-indiana busca sustentar o quarto lugar no Mundial de Construtores pelo terceiro ano seguido, atrás apenas das gigantes
Warm Up / VITOR FAZIO, de Porto Alegre / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 VJM11 (Foto: Twitter/F1)

Pouco menos de uma hora antes do começo dos testes de pré-temporada, o novo carro da Force India foi oficialmente revelado. Na manhã da segunda-feira (26), a equipe baseada em Silverstone mostrou o VJM11, modelo que vai ter a missão de manter os indianos no respeitável posto de ‘melhor do resto’ na F1, atrás apenas das gigantes Mercedes, Ferrari e Red Bull. Missão das mais difíceis considerando a prevista ascensão de McLaren e também da Renault.
 
O carro segue com o visual rosa, talvez o mais ousado da temporada 2017. A Force India fechou acordo de patrocínio com a companhia austríaca de tratamento hídrico BWT às vésperas do início da temporada passada, então embolsando valor estimado em R$ 63 milhões. O VJM11 também traz mudanças forçadas pelo regulamento, como a introdução do Halo e o fim da barbatana de tubarão em seu formato tradicional. Até o Halo, aliás, é rosa, que neste ano vem em um tom mais metálico que o utilizado no ano passado.
Eis o novo VJM11, apresentado na manhã desta segunda-feira (Foto: Force India)
Os pilotos de 2018 são os mesmos da última temporada. A ótima dupla formada por Sergio Pérez e Esteban Ocon segue após causar boa impressão. A combinação, apesar de explosiva, se mostrou uma das mais fortes da F1. Os pilotos pontuaram em quase todas as corridas, tendo como pontos negativos os acidentes evitáveis nos GPs do Azerbaijão e da Bélgica.
 
O lado ruim, todavia, não foi suficiente para impedir a equipe de voltar a quebrar o recorde de pontos por um tento. Foi assim que, pelo segundo ano seguido, a Force India terminou o Mundial de Construtores em quarto. Para seguir sendo a ‘melhor do resto’, a equipe precisa ficar de olho em rivais como Renault e McLaren, com grande expectativa de crescimento em 2018.

Para isso, o novo VJM11 segue a receita que deu certo no carro do ano passado, ainda que o agora antigo VJM10 não tenha levado a equipe ao pódio, algo que aconteceu com 'Checo' Pérez quatro vezes entre 2014 e 2016. 

“Queremos estar em Barcelona com um carro que nós sabemos que funciona. Deve ser uma boa base para a qual possamos começar a desenvolver com grandes passos”, declarou o diretor-técnico Andy Green à revista alemã 'Auto Motor und Sport'.
Detalhe para o novo visual do bico do carro anglo-indiano, agora com mais detalhes em branco (Foto: Force India)
Na visão do chefe-adjunto Bob Fernley, é fundamental manter uma boa base para ter chances de lutar contra McLaren e Renault, que têm maior orçamento e, portanto, maior potencial de desenvolvimento em relação à Force India. “Elas são uma ameaça significativa, e precisamos levá-las a sério. As três equipes vão travar uma enorme batalha”, previu.

Em meio à apresentação, a Force India confirmou não apenas a manutenção da base no seu novo carro, mas também do nome. A equipe, que cogitou mudanças para atrair mais patrocinadores em nível internacional, voltou atrás. E ainda negou os rumores que apontavam para uma possível venda para uma empresa de bebidas energéticas, a Rich Energy, baseada na Inglaterra.

Assim, com toda a base mantida e a ótima dupla de pilotos, a Force India vai para 2018 com o desafio também de se manter como a melhor do resto, ainda que seja um ano dos mais complicados com a prevista ascensão de McLaren e a Renault, com muito maior poderio financeiro. E mesmo a combalida Williams, com dois jovens pilotos pagantes, também não pode ser descartada.