F1

Em busca de reação e do vice, Rosberg bate dupla da Red Bull e fecha sexta-feira com melhor tempo no México

Disposto a deixar para trás o erro clamoroso cometido nas voltas finais do GP dos Estados Unidos, Nico Rosberg fechou a tarde de sexta-feira na liderança do segundo treino livre no México. O bom destaque ficou com a dupla da Red Bull: Daniil Kvyat voltou a ficar em segundo lugar, seguido por Daniel Ricciardo. O tricampeão Lewis Hamilton terminou o dia em quarto

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
O primeiro dia de atividades do GP do México foi pra lá de movimentado. Afinal, pilotos e equipes tinham de buscar o máximo possível de informações e aprender o novo traçado do Autódromo Hermanos Rodríguez. A falta de aderência, culpa da chuva no começo da manhã e da pista ainda bastante verde, atrapalhou e fez que muitos competidores rodassem. Até Max Verstappen, que brilhou no primeiro treino ao liderar a sessão, bateu na abertura do treino da tarde. Mas no apagar das luzes desta sexta-feira (30), nada de surpresas na frente. A Mercedes fechou o dia com o melhor tempo com Nico Rosberg. O alemão, disposto a deixar no passado o erro clamoroso cometido na semana passada nos Estados Unidos, cravou 1min21s531 como melhor volta.
Rosberg comanda TL2 do GP do México (Foto: Getty Images)
Por um bom tempo, Lewis Hamilton apareceu como principal adversário de Rosberg na sessão desta tarde no México, mas os carros da Red Bull apareceram muito bem e superaram, inclusive, a Ferrari. Daniil Kvyat, que foi o segundo mais rápido no primeiro treino livre, repetiu a colocação no segundo treino, sendo seguido de perto pelo companheiro de equipe Daniel Ricciardo. O novo tricampeão do mundo só apareceu em quarto lugar, 0s430 atrás de Rosberg. E só então vieram as Ferrari, com Sebastian Vettel em quinto e Kimi Räikkönen fechando em sexto.

Só depois que veio a Williams. E com Valtteri Bottas. O finlandês, que passou por um susto no começo da sessão e rodou logo após o fim da velocíssima reta, terminou num razoável sétimo lugar. Mas para a McLaren, as posições de Fernando Alonso e Jenson Button eram muito boas: oitavo e nono, respectivamente. Por sua vez, Felipe Massa fechou o rol dos dez primeiros colocados no México. E Felipe Nasr, que sequer era nascido quando o último GP do México foi disputado, em 1992, ficou em 14º.

Saiba como foi o segundo treino livre do GP do México de F1

A pista do Autódromo Hermanos Rodríguez foi liberada com a presença, logo de cara, de vários pilotos. A pressa era grande para que todos buscassem a maior quilometragem possível em um circuito ainda pouco conhecido. Mas a ameaça vinha dos céus, já que muitas nuvens pesadas estavam cercando a região da pista. Embora a chance de chuva fosse naquele momento de 30%, a impressão é que a água poderia desabar a qualquer momento da tarde.
Destaque no primeiro treino livre, Max Verstappen bateu no comecinho da segunda sessão (Foto: F1/Reprodução)
Assim como aconteceu pela manhã, Kimi Räikkönen também anotou a primeira marca da tarde ao registrar 1min25s820, desde cara um tempo melhor em relação ao que Max Verstappen registrou para ser o mais rápido da pista. E foi justamente Verstappen que, quando eram percorridos apenas cinco minutos de sessão, foi o primeiro a bater na barreira de proteção a curva Nigel Mansell, a última antes da grande reta, interrompendo a sessão com bandeira vermelha.

A bandeira verde voltou a ser acenada pouco depois, e novamente um tráfego intenso se formou com a presença maciça dos pilotos na pista. Mas as atenções do público mexicano estavam todas para Sergio Pérez, que era ovacionado a cada passagem pelo circuito, sobretudo no Foro del Sol, o estádio, onde se concentrava uma boa parte do empolgado público. O mexicano pode guiar pela Aston Martin em 2016, uma vez que a montadora costura um acordo de compra da Force India.

Sem tempo a perder, a sessão já teve uma grande alternância de posição com pilotos como Alonso, Bottas e Pérez chegando a ocupar a primeira posição. Até que então a Mercedes apareceu com força e logo colocou Rosberg na frente com 1min25s189. Em seguida, o alemão marcou 1min24s682. Um bom tempo, mas Vettel conseguiu algo ainda melhor quando abaixou o tempo do compatriota em 0s043. Até que Bottas, que vinha rápido, perdeu o controle do carro, rodou e bateu a frente do seu carro, perdendo a asa dianteira. Mas a sessão seguiu seu curso normalmente.

Aí Hamilton tratou de colocar ordem na casa e restabeleceu a verdade da F1 em 2015 ao colocar a Mercedes na frente com 1min24s016. Mas boa parte dos pilotos enfrentava problemas de aderência na entrada da curva 1, tanto que Carlos Sainz também passou reto, no mesmo ponto onde quase bateu Bottas. Era o ponto onde se alcançavam as maiores velocidades finais no Hermanos Rodríguez, e onde Hamilton anotou mais de 362 km/h no período da manhã.
Valtteri Bottas perde o controle em alta velocidade no México (Foto: F1/Reprodução)
Com quase meia hora de sessão, Felipe Massa ainda não havia marcado tempo no México. Felipe Nasr vinha em 14º lugar. Na frente, Hamilton segua na frente com 0s223 de frente para Daniil Kvyat, outro que fez um grande trabalho pela manhã. A maior dificuldade dos pilotos era com a falta de aderência da pista que, definitivamente, ainda estava muito verde, o que permitia uma série de rodadas.

E os tempos seguiam melhorando. Era a vez de a Force India ocupar a liderança. Mas não com Pérez e sim com Nico Hülkenberg. Em busca de recuperação no Mundial, o alemão foi o primeiro piloto a andar abaixo de 1min24s na sexta-feira. O alemão, ainda com pneus médios, cravou 1min23s290. O segundo era Carlos Sainz, que tinha sido o primeiro a sair dos boxes com pneus macios, abrindo uma sequência interessante na Cidade do México.

Mas com 38 minutos de sessão, alguns pilotos reportaram pingos de chuva em determinados setores da pista. Mas ainda não era algo que estava por atrapalhar na evolução dos tempos de volta. Tanto que as Lotus começaram a ter um bom destaque, graças também ao motor Mercedes. Romain Grosjean, que não treinou pela manhã — deu lugar ao reserva Jolyon Palmer — vinha em terceiro, com Pastor Maldonado em sexto.

Só que os carros de Ferrari e Mercedes ainda não tinham marcado tempos com os pneus macios. E tão logo que isso aconteceu, a ordem na tabela mudou bastante. Räikkönen chegou a assumir a ponta, mas logo Rosberg tomou a liderança com 1min22s272. Só que Hamilton enfiou 0s311 de frente para o alemão e, com 1min21s961 — sendo o mais rápido nos três setores da pista — assumiu a liderança com extrema autoridade.
Nico Rosberg fez uma grande volta e teve um grande desempenho no Hermanos Rodríguez (Foto: Getty Images)
Contudo, Rosberg não se deu por vencido. Disposto a reagir depois do clamoroso erro no último GP dos Estados Unidos, o alemão superou, e bem, a marca de Hamilton ao cravar 1min21s531, 0s430 melhor que Hamilton. A Ferrari vinha logo em seguida, em terceiro e quarto com Sebastian Vettel e Räikkönen, respectivamente. Pouco mais atrás, Alonso voltava a aparecer bem e se colocava em nono, à frente, inclusive, de Massa, que tinha um desempenho consideravelment inferior ao de Bottas.

As gotas de chuva ainda davam as caras em alguns trechos da pista e molhavam até as câmeras da transmissão, mas não era ainda o bastante para atrapalhar a vida dos pilotos. Ainda assim, muitos espectadores já abriam seus guarda-chuvas por precaução. Na pista, finalmente a dupla da Red Bull conseguia completar as primeiras voltas com os pneus macios, e Jenson Button, depois de ficar boa parte do seu tempo nos boxes, começou a acelerar com os compostos médios.
Sergio Pérez foi ovacionado pelo público mexicano nesta sexta-feira (Foto: F1/Reprodução)
Com um ótimo desempenho, Kvyat se achou no circuito mexicano. A ponto de o russo conseguir superar a marca de Hamilton e subir para segundo. Pouco depois, Daniel Ricciardo comprovou o bom desempenho do RB11 e também bateu o tricampeão do mundo, avançando para o terceiro lugar.
 
Restando pouco menos de meia hora para o fim da sessão, as equipes passaram a trabalhar em simulação de corrida usando tanto os pneus macios quanto os médios. Foi nesse tempo que a embreagem da Lotus de Grosjean se foi, e o franco-suíço ficou parado no trecho dos Esses do Hermanos Rodríguez. Foi o bastante para que a direção de prova acionasse a bandeira vermelha pela segunda vez durante a tarde. Mas a pista foi liberada pouco depois, quando faltavam 23 minutos para o fim da sessão.

Uma vez que a previsão do tempo apontava chuva em cerca de dez minutos, os pilotos buscavam completar o maior número possível de voltas para acumular quilometragem o bastante e coletar informações preciosas visando o treino classificatório e a corrida de domingo. E depois que a chuva finalmente deu as caras, nos minutos finais da sessão, não havia mais o que fazer. Com a pista muito escorregadia, não houve nenhuma melhora nos tempos de volta, e o cenário consolidou Nico Rosberg com o mais rápido da sexta-feira na Cidade do México.

F1, GP do México, Autódromo Hermanos Rodríguez, segundo treino livre:
 
1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:21.531   36
2 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:21.776 +0.245 27
3 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:21.868 +0.337 28
4 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:21.961 +0.430 33
5 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:21.984 +0.453 32
6 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:22.399 +0.868 33
7 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:22.721 +1.190 28
8 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:22.993 +1.462 36
9 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA 1:23.109 +1.578 25
10 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:23.289 +1.758 32
11 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:23.290 +1.759 34
12 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES 1:23.363 +1.832 24
13 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:23.364 +1.833 41
14 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:23.430 +1.899 39
15 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES 1:23.597 +2.066 33
16 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES 1:23.614 +2.083 26
17 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:24.533 +3.002 34
18 53 ALEXANDER ROSSI EUA MANOR MARUSSIA FERRARI 1:25.940 +4.409 29
19 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI 1:26.968 +5.437 28
20 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT     2
    TEMPO 107% TL2   1:27.238 +5.707  
               
RECORDE NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:21.531 30/10/15