Em dia que “lutou com carro”, Hamilton vê Bottas “mais confortável” e destaca Ferrari mais rápida nas retas

Lewis Hamilton comentou que o primeiro dia de trabalho de pista para o GP da China foi simples, mas também deixou claro que a Mercedes terá de mexer bastante no carro até o sábado. O pentacampeão foi facilmente superado por Valtteri Bottas

Lewis Hamilton fechou o primeiro dia de atividades da Fórmula 1 em Xangai, esta sexta-feira (12), com a quarta colocação no segundo treino livre e 0s7 atrás precisamente do companheiro Valtteri Bottas. O pentacampeão mundial apontou que a Mercedes tem muito o que trabalhar sobretudo em seu carro e viu a Ferrari ainda sobrando nas retas.
 
Com Sebastian Vettel à frente dele nos dois treinos e Bottas sobrando no TL2, Hamilton não pareceu dar mais importância que o necessário à sexta-feira. Mas quer um acerto que permita encontrar o ritmo que o companheiro – e até agora líder do campeonato – já alcançou. Além de, claro, não ser pego no pulo com o modo festa da Ferrari no sábado da classificação.
Lewis Hamilton (Foto: AFP)

“Foi um dia relativamente simples, cumprimos bem nosso programa. Estava muito frio lá fora, o que é difícil para os pneus. Estava lutando com o carro hoje, então temos trabalho a fazer, particularmente para mim, já que Valtteri pareceu muito mais confortável no carro", comentou. 

 
"Vamos trabalhar duro hoje à noite para buscar alguns acertos e esperamos voltar mais fortes amanhã. O carro tem ritmo para lutar na frente, de modo que só precisamos encontrar o acerto correto. É bom ver o quão perto estamos nós, a Red Bull e a Ferrari", avaliou. 
 
"Como esperado, as Ferrari ainda parecem mais rápidas nas retas. Mas, no geral, está muito apertado entre os carros na ponta e antecipo que vai ser o mesmo amanhã”, finalizou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube