Em grande fase, Hamilton sobra e lidera primeiro treino livre afetado pela chuva em Austin. Vettel é 2º

Enquanto a pista esteve seca no TL1, Lewis Hamilton foi dominante. O britânico conseguiu tempo de volta 0s5 melhor do que o de Sebastian Vettel, segundo colocado. Felipe Massa surpreendeu ao fechar com a sexta posição

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A F1 trocou o continente asiático pelo americano, mas Lewis Hamilton segue pisando fundo do mesmo jeito. O britânico abriu os trabalhos em Austin liderando o primeiro trino livre desta sexta-feira (20) com 0s5 de vantagem para a concorrência.
 
O resultado do TL1 é um ótimo indicativo para um Hamilton que nem precisa forçar muito para alcançar o tetracampeonato mundial. Ainda mais considerando que Sebastian Vettel, segundo colocado, teve um tempo de volta 0s593 pior e sofreu para apresentar ritmo.
 
Valtteri Bottas foi o terceiro mais veloz. O finlandês não chegou nem perto dos tempos de volta de Hamilton, surgindo 0s644 atrás. Já sabendo que vai perder posições no grid de largada, Max Verstappen pintou em quarto, enquanto os inesperados Stoffel Vandoorne e Felipe Massa pintaram em quinto e sexto. Os quatro primeiros usaram pneus supermacios, enquanto o belga e o brasileiro apelaram para ultramacios.
Kimi Räikkönen não encontrou voltas muito boas com pista seca e ficou apenas em sétimo com supermacios. Os últimos pilotos do top-10 foram Esteban Ocon, Sergio Pérez e Carlos Sainz Jr. – que superou Nico Hülkenberg em sua primeira sessão pela Renault.
 
O outro estreante do dia, Brendon Hartley, também teve a honra de superar o companheiro. O neo-zelandês foi 14º, mas pintou 1s1 melhor do que Sean Gelael, reserva da Toro Rosso que disputa treinos livres ao longo da temporada.
 
A atividade acabou afetada pela chuva. Os primeiros minutos contaram com uma chuva fina, mas que bastou para manter o asfalto úmido por quase 30 minutos. No final, já com 20 minutos até a bandeira quadriculada, a intempérie voltou a se fazer presente, virtualmente encerrando a atividade.
Lewis Hamilton liderou o TL1 em Austin (Foto: AFP)

Saiba como foi o primeiro treino livre da F1 nos EUA

 
A sexta-feira amanheceu com tempo feio em Austin. Além do céu nublado e da neblina fraca, uma chuva fina tinha tratado de deixar o asfalto molhado em alguns trechos. Assim, o treino começou com grande cautela por parte de pilotos e equipes, que optavam por voltas de instalação ao longo dos primeiros minutos.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O primeiro tempo anotado foi de Valtteri Bottas. 1min50s529, muito longe de ser competitivo. Lewis Hamilton logo baixou a marca para 1min50s146, também sem forçar muito. A dupla da Red Bull também completou voltas, ficando marginalmente atrás de Lewis.
 
Os minutos passavam e pouco acontecia. Sem tempos novos, a atração era ver pilotos rodando – Daniel Ricciardo e Sean Gelael, reserva da Toro Rosso, atacaram demais as zebras e perderam controle. Mais um pouco e Esteban Ocon cometeu o mesmo tipo de erro.
Foi só após 25 minutos que pilotos e equipes perderam a timidez. Stoffel Vandoorne surgiu meros 0s023 atrás de Hamilton, então em segundo. Mas esses tempos foram dizimados por Verstappen, que saltou para 1min47s922.
 
Sebastian Vettel também conseguiu uma boa volta, aparecendo 0s350 atrás de Verstappen. Vandoorne, Hamilton e Carlos Sainz Jr. – agora na Renault – completavam o top-5 com 60 minutos de treino pela frente. Todos ainda estavam com intermediários, mesmo que a pista já aparentasse estar majoritariamente seca. O único ainda sem volta era Fernando Alonso, aparentemente com um vazamento no carro.
Sebastian Vettel foi o segundo melhor, mas bem atrás de Lewis Hamilton (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

De forma até surpreendente, a atividade logo viu um novo líder. Felipe Massa, que subiu para segundo na primeira tentativa, conseguiu 1min47s692 na sequência e superou Verstappen por 0s230. Mas o brasileiro não se sustentou por muito tempo: Vettel, primeiro a usar pneu de pista seca, conseguiu um ótimo 1min45s960 para virar ponteiro.
A pista estava claramente seca, mas as equipes seguiram cautelosas. O grid inteiro ficou nos boxes por mais 15 minutos, até que Ricciardo voltasse com pneus supermacios. E não deu nem graça: Daniel conseguiu 1min40s297, mais de 5s melhor do que Vettel. Mais um pouco e o australiano melhorou para 1min39s366.
 
Depois disso, o grid veio em massa. Kimi Räikkönen conseguiu o segundo tempo, enquanto Nico Hülkenberg apareceu em terceiro, ambos com supermacios. Apelando para ultramacios, o estreante Brendon Hartley pintou em quarto.
 
E a tabela seguiu evoluindo: Verstappen melhorou o tempo de Ricciardo em mais 2. Era liderança, mas provisória: Hamilton conseguiu o ótimo 1min36s935 e virou líder do treino com um pé nas costas. Bottas chegou a melhorar e subir para segundo, mas seguia 0s6 pior do que o companheiro. O finlandês, aliás, logo acabou com os pneus ao travar na curva 1 e escapar da pista.
 
Restavam 20 minutos para o fim do treino e a Ferrari ainda não tinha dado as caras para valer. Verstappen era terceiro e Massa era quarto, enquanto Räikkönen e Vettel eram respectivamente quinto e sexto.
 
Quando Vettel resolveu pisar fundo, não fez tanta diferença assim. Com supermacios, o tetracampeão apareceu em segundo, mas ainda 0s5 atrás de Hamilton.

Quando parecia que o treino ia pegar fogo, o que se viu foi o contrário. Uma nova pancada de chuva atingiu Austin, evitando que os tempos de volta melhorassem. A chuva pelo menos foi fraca, o que possibilitou que os pilotos seguissem na pista com pneus slick – mas sem o ritmo de outrora.

Nos últimos cinco minutos, já com pista realmente seca, alguns pilotos colocaram a mão na massa. Vandoorne, por exemplo, entrou no top-5 com ultramacios. Até Fernando Alonso, que passou a maior parte do tempo encostado na garagem com problemas mecânicos, deu sua voltinha. O único que realmente teve problemas foi Gelael, que voltou a rodar com uma pista virtualmente seca…

F1 2017, GP dos Estados Unidos, Austin, primeiro treino livre, final:

1   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes   1:36.335   18
2   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari   1:36.928 +0.593 20
3   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes   1:36.979 +0.644 10
4   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer   1:37.339 +1.004 21
5   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Honda   1:37.352 +1.017 26
6   19 Felipe MASSA BRA Williams Mercedes   1:37.570 +1.235 23
7   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari   1:37.598 +1.263 20
8   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes   1:37.808 +1.473 25
9   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes   1:37.861 +1.526 20
10   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault   1:38.093 +1.758 24
11   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari   1:38.408 +2.073 16
12   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes   1:38.534 +2.199 25
13   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault   1:38.904 +2.569 19
14   39 Brendon HARTLEY NZL Toro Rosso Renault   1:39.267 +2.932 28
15   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari   1:39.336 +3.001 17
16   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer   1:39.366 +3.031 14
17   38 Sean GELAEL INA Toro Rosso Renault   1:40.406 +4.071 25
18   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari   1:40.448 +4.113 19
19   36 Charles LECLERC MON Sauber Ferrari   1:40.828 +4.493 25
20   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Honda       4

RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube