F1

Em luto por Hubert, Leclerc brilha na Bélgica e vence pela primeira vez na F1

Piloto mais próximo a Anthoine Hubert no grid da F1, Charles Leclerc viveu um momento único na carreira em meio à tristeza pela morte do amigo. Neste domingo (1), o monegasco venceu pela primeira vez na F1 ao ser o grande nome do GP da Bélgica

Grande Prêmio / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Charles Leclerc, enfim, venceu pela primeira vez na F1. Em um fim de semana marcado por enorme clima de tristeza pela morte trágica de Anthoine Hubert, o jovem piloto da Ferrari foi um dos que mais sentiu por conta da sua proximidade com o francês de 22 anos. Amigo de Hubert, Leclerc o homenageou no carro e no capacete neste domingo (1) de GP da Bélgica. Leclerc largou na pole, dominou boa parte da prova, chegou a ser superado por Sebastian Vettel após o pit-stop, mas seu ritmo era muito melhor que o do alemão. Após ordem da Ferrari para a inversão de posições, o monegasco seguiu na ponta até o fim e subiu no topo do pódio da F1 pela primeira vez.

Foi também a primeira vitória da Ferrari na temporada e o primeiro triunfo de um piloto monegasco na F1. O Principado, aliás, é o 23º país a ter sua bandeira hasteada no topo do pódio do Mundial.

Lewis Hamilton fez uma grande corrida, levando em conta a superioridade dos carros da Ferrari em relação à Mercedes, sobretudo nos trechos de reta de Spa-Francorchamps. O pentacampeão teve melhor performance com os pneus macios, na segunda parte da corrida, fez a ultrapassagem sobre Vettel e chegou a se aproximar de Leclerc nas voltas finais para terminar na segunda colocação, apenas 0s451 atrás de Leclerc. Valtteri Bottas colocou mais um carro da equipe prateada no pódio e completou a disputa em terceiro, ainda que não tenha feito lá uma grande atuação.

Vettel completa mais uma corrida sem vitória e foi o piloto que mais sofreu com a falta de performance dos pneus médios, uma vez que parou mais cedo que Leclerc, Hamilton e Bottas. Sem ritmo, sobretudo nas voltas finais, Seb acabou tendo de fazer um segundo pit-stop para colocar pneus macios e ir até o fim da prova, finalizando em quarto. Lando Norris vinha sendo um dos melhores nomes da prova, mas quebrou na última volta, quando era o quinto.

Quem fechou o top-5 foi Alexander Albon, na sua primeira corrida pela Red Bull, depois de ter ultrapassado Sérgio Pérez, o sexto, na última volta. Daniil Kvyat também fez bela prova para finalizar em sétimo, seguido por Nico Hülkenberg e Pierre Gasly, este no seu regresso à Toro Rosso. Lance Stroll beliscou um pontinho e foi o décimo depois do abandono de Norris, eleito como o 'Piloto do Dia' deste domingo.
Charles Leclerc partiu para conquistar sua primeira vitória na F1 (Foto: Beto Issa)
Saiba como foi o GP da Bélgica de F1


Em um ambiente de enorme tristeza e consternação pela morte de Anthoine Hubert no sábado, a F1 largou para o GP da Bélgica nesta tarde. Charles Leclerc manteve a primeira posição, enquanto Lewis Hamilton conseguiu superar Sebastian Vettel. Mas o alemão retomou o segundo lugar antes da curva Les Combes, após o fim da reta Kemmel.

Quem se deu mal foi Max Verstappen, que acabou se envolvendo em um incidente com Kimi Räikkönen na primeira curva, teve a suspensão dianteira esquerda avariada, tentou fazer a Eau Rouge mesmo assim, mas bateu com relativa força na barreira de proteção. Safety-car na pista.

Chamava a atenção a grande evolução de Lando Norris, que ganhou seis posições na primeira volta e era o quinto lugar, à frente de Romain Grosjean, Kevin Magnussen, Sérgio Pérez, Pierre Gasly e Lance Stroll, que fechava o décimo. Por outro lado, Carlos Sainz, também piloto da McLaren, ganhava um amargo presente de aniversário ao abandonar a corrida antes da saída do safety-car. Perda de potência do motor Renault do carro do espanhol.

A relargada foi dada na quinta volta da prova, com Leclerc puxando a fila. Valtteri Bottas pressionou Hamilton no retão, mas o pentacampeão se manteve em terceiro lugar. Mas ficava claro, a cada volta, que a Mercedes não conseguia acompanhar os carros da Ferrari nos trechos mais rápidos de Spa.
Charles Leclerc liderou as primeiras voltas da corrida (Foto: Beto Issa)
Mesmo com toda a força da Ferrari, Hamilton lutava muito para se aproximar de Vettel, o que era possível no miolo do circuito. Leclerc sustentava a liderança, mas cometeu um erro ao passar reto pela curva Les Combes. Mais atrás, Gasly fazia a ultrapasagem sobre Magnussen no retão e subia para o oitavo lugar. O francês fazia boa corrida na Bélgica no seu regresso à Toro Rosso. Em contrapartida, Alexander Albon não conseguia passar Nico Hülkenberg e ficava empacado em 14º lugar.

Leclerc não tinha adversários e já conseguia abrir quase 3s5 de vantagem para Vettel na volta 14. Hamilton andava ali próximo, cerca de 1s atrás. Norris, em quinto, fazia uma corrida tranquila, porque não ameaçava, mas tampouco era ameaçado. Magnussen sofria demais com a falta de ritmo e seguia perdendo posições, sendo superado por Albon, que havia conseguido passar Hülkenberg. O novo piloto da Red Bull era o décimo depois das primeiras paradas para troca de pneus.

Vettel foi o primeiro piloto das equipes de ponta a fazer seu pit-stop, na volta 16, deixando Hamilton momentaneamente em segundo. Lewis tratava de acelerar para tentar superar Vettel depois da parada, o chamado 'undercut'. No pelotão intermediário, Gasly voltava a se destacar depois de fazer grande manobra de ultrapassagem para superar Räikkönen.
Torcida aplaude Anthoine Hubert na volta 19 do GP da Bélgica (Foto: F1/Twitter)
Na volta 19, o momento mais emocionante da corrida. Vários torcedores ao redor do autódromo aplaudiram Anthonie Hubert, que levava o #19 no seu carro.

Com pneus macios, Vettel andava muito mais rápido que Leclerc e Hamilton. Assim, o alemão tinha perspectivas reais de assumir a liderança da corrida. E foi justamente o que aconteceu na volta 22, depois que o monegasco fez seu pit-stop. Seb superou o companheiro de equipe. A Mercedes chamou Hamilton para seu pit-stop no giro seguinte e Bottas pouco depois. Assim, Vettel tomou de vez a ponta.

Leclerc tinha ritmo melhor que Vettel e partiu para cima do alemão para buscar sua primeira vitória na F1. Sem cerimônia, a Ferrari fez um pedido outrora impensável a Seb: "Deixe Charles passar nesta volta". E assim fez o alemão, abrindo passagem na abertura da volta 27. O #16 não apenas passou, como abriu vantagem logo de cara.

Vettel tinha perdido por completo a performance dos pneus médios e Hamilton estava cada vez mais próximo. Seb tentava se segurar em segundo, tática que também ajudava Leclerc a abrir vantagem na frente. Mas o tetracampeão não suportou muito mais e foi superado por Hamilton no fim do retão na volta 32.
Hamilton passa Vettel e assume o segundo lugar em Spa (Foto: Mercedes)
Hamilton estava 6s4 atrás de Leclerc e tinha pista livre à frente para tentar buscar a vitória. O monegasco abria nos trechos de reta, mas Lewis se aproximava no miolo da pista. Vettel passava a ser presa fácil para Bottas, também com ritmo muito melhor em relação à Ferrari #5. Os pneus estavam tão desgastados que a equipe italiana chamou seu piloto para um segundo pit-stop. Valtteri assumiu o terceiro lugar.

Albon vinha em franca recuperação e usava pneus macios no stint final da sua corrida. O anglo-tailandês assumia o oitavo lugar depois de fazer belíssima ultrapassagem sobre Ricciardo já na parte final da prova. Com rendimento muito forte, o anglo-tailandês subiu para sétimo depois de se colocar à frente de Daniil Kvyat. O piloto fazia grande corrida, assim como Pérez, em sexto, e Norris, a caminho do quinto lugar.

Nas voltas finais, Hamilton acelerou forte e encostou de vez em Leclerc. Mas Charles conseguiu defender bem sua posição e não chegou a ser totalmente ameaçado, partindo assim para sua primeira vitória na F1. Uma vitória toda dedicada ao amigo Anthoine Hubert.

Na última volta, um susto com a forte batida de Antonio Giovinazzi na barreira de pneus. O italiano, contudo, nada sofreu. Quem também teve seu revés, como um duro castigo, foi Norris, que caminhava para ser o quinto colocado, mas sofreu uma quebra na última volta. Assim, Albon terminou no top-5 após passar Sérgio Pérez nos metros finais.

F1 2019, GP da Bélgica, Spa-Francorchamps, final:

1 C LECLERC Ferrari 44 voltas  
2 L HAMILTON Mercedes +0.981  
3 V BOTTAS Mercedes +12.585  
4 S VETTEL Ferrari +26.424  
5 A ALBON Red Bull Honda +1:21.325  
6 S PÉREZ Racing Point Mercedes +1:24.448    
7 D KVYAT Toro Rosso Honda +1:29.657    
8 N HÜLKENBERG Renault +1:46.639    
9 P GASLY Toro Rosso Honda +1:49.168    
10 L STROLL Racing Point Mercedes +1:49.838    
11 L NORRIS McLaren Renault +1 volta   NC
12 K MAGNUSSEN Haas Ferrari +1 volta    
13 R GROSJEAN Haas Ferrari +1 volta  
14 D RICCIARDO Renault +1 volta  
15 G RUSSELL Williams Mercedes +1 volta  
16 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari +1 volta  
17 R KUBICA Williams Mercedes +1 volta  
18 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari +1 volta NC
19 C SAINZ JR McLaren Renault +41 voltas NC
20 M VERSTAPPEN Red Bull Honda +44 voltas NC



Paddockast #31
QUEM NA F1 PASSA DE ANO?


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.