Em meio a controvérsia por teste com Pirelli, Horner defende Ferrari: “Não era o carro de 2013”

Christian Horner saiu em defesa da Ferrari e afirmou que o teste da fábrica de Maranello com a Pirelli não tem nenhuma relação com o que foi feito com a Mercedes. Chefe da Red Bull acredita que problema está no fato de o carro de 2013 ter sido usado por Brackley

Em meio a controvérsia sobre os polêmicos testes de Mercedes e Ferrari com a Pirelli, Christian Horner, chefe da Red Bull, saiu em defesa da esquadra vermelha. Na visão do rubro-taurino, não é possível comparar o teste dos italianos, com aquele feito pelo time de Nico Rosberg e Lewis Hamilton. 
 
Durante o fim de semana do GP de Mônaco, surgiu a notícia de que a Mercedes permaneceu em Barcelona após o GP da Espanha para completar 1000 km em um teste com a Pirelli, utilizando o carro de 2013. O teste se transformou em uma investigação da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), que também decidiu averiguar outro teste, feito no Bahrein, pela Ferrari com Pedro de la Rosa. 
Horner reclamou da postura da Pirelli em relação aos testes (Foto: Getty Images/ Mark Thompson)
“A posição da Ferrari é diferente”, defendeu Horner em entrevista à revista italiana ‘Autosprint’, “porque apesar de eles terem usado um piloto oficial, não era o carro de 2013 deles”, apontou. “As duas situações não são nem comparáveis.”
 
Questionado sobre sua expectativa em relação a investigação da FIA, Horner foi claro: “Que o assunto seja analisado rapidamente e de forma justa”.
 
Mercedes e Pirelli negaram que o teste na Espanha tenha sido realizado em segredo, mas Horner tem uma opinião contrária. “Você tem esse tipo de abordagem quando não quer que alguém saiba de algo, do contrário, eles teriam anunciado em público. Como fazem com todas suas atividades”, ponderou. 
 
Nos últimos dias surgiram rumores de que Lewis Hamilton fingiu estar nos Estados Unidos postando fotos no Twitter, quando na verdade estava na Espanha testando. De acordo com os rumores, o piloto britânico usou um capacete diferente para evitar ser identificado. 
 
O chefe da Red Bull também não se mostrou satisfeito com a postura da Pirelli, que alega não ter feito nada de errado. “Todos na F1 estão sujeitos a regras: times, pilotos e fornecedores. As regras também se aplicam a eles”, encerrou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube