Em meio a troca de farpas, Verstappen diz ter relação “normal” com Hamilton

Apesar da crescente rixa entre Mercedes e Red Bull, Max Verstappen afirmou que relação entre ele e Lewis Hamilton segue inalterada mesmo com a disputa acirrada que se desenha nas pistas pelo título

Verstappen assume liderança da F1 após vitória: assista aos melhores momentos do GP de Mônaco (GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Em meio a uma ferrenha disputa na pista contra Lewis Hamilton e algumas declarações ácidas trocadas fora delas, reforçadas pela crescente rixa entre Mercedes e Red Bull, Max Verstappen resolveu colocar panos quentes na situação e reiterou que o relacionamento com o heptacampeão mundial é bom e não sofreu alterações com a disputa que se desenha pelo título mundial de 2021.

Em entrevista à Servus TV, emissora austríaca parceira da Red Bull, o holandês comentou sobre o relacionamento que tem com Hamilton e aproveitou para projetar a continuidade da disputa e analisar o campeonato. “Bem. Nós estamos bem, normais um com o outro”, declarou.

“Tivemos grandes batalhas na pista e espero que continue assim ao longo do ano. A Mercedes continua muito forte nos circuitos normais. Nos outros anos, nós estávamos lentos na primeira parte da temporada e melhoramos perto do fim. Esse ano, nosso começo foi muito melhor e mais competitivo, como um todo. Nós temos uma boa chance”, disse.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Max Verstappen assumiu a ponta do Mundial de Pilotos após vencer nas ruas do Principado (Foto: Beto Issa)

Apesar de afirmar que tudo está bem entre os dois, Verstappen e Hamilton já chegaram a trocar farpas via imprensa em um passado muito recente. Após a vitória no GP de Mônaco, que o levou à liderança do Mundial, Max cutucou Hamilton e afirmou que “ações falam mais alto que palavras”, em resposta à declaração do heptacampeão que afirmava que Verstappen “talvez tenha de provar algo”.

O holandês ainda aproveitou a oportunidade para dissecar o começo do ano da Red Bull, que segundo ele, é promissor e menos errático que os últimos anos da equipe. Apesar do começo promissor, o atual líder do Mundial de Pilotos afirma que o cenário poderia ser ainda melhor caso o triunfo em solo barenita não tivesse escapado de suas mãos.

“Nós poderíamos ter ido melhor em algumas oportunidades. No Bahrein, deveríamos ter vencido. Em Ímola, foi bom. Em Portugal e na Espanha, a Mercedes estava um pouco mais rápida, mas terminamos na frente. Todo mundo comete erros, e creio que cometemos poucos erros até agora neste ano”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar