Envolvido em incidente com Senna, Vergne diz que estava lento porque alcançou Glock em volta lançada

Jean-Éric Vergne foi punido em três posições no grid de largada por atrapalhar Bruno Senna no Q1 da classificação em Suzuka, no Japão

O incidente que protagonizou com Bruno Senna no fim do Q1, em Suzuka, neste sábado (6), resultou em uma punição de três posições no grid de largada para Jean-Éric Vergne. Alvo de incisivas reclamações do brasileiro da Williams, o piloto da Toro Rosso deu sua explicação para o que aconteceu na famosa chicane Casio, a última curva do tradicional circuito japonês.

“Eu estava alcançando o [Timo] Glock em minha volta rápida e precisei tirar o pé por isso. Vi que Bruno estava vindo muito rápido e, infelizmente, ele me alcançou na chicane, onde não há muito espaço”, começou o francês.

Vergne deixou Senna nada satisfeito em Suzuka (Foto: Red Bull/Getty Images)

Sem espaço o suficiente para os dois, Vergne disse que tentou ir o máximo possível para o lado de fora da curva para não atrapalhar o brasileiro. Senna, porém, já vinha com as rodas travadas desde lá de trás, no que se tornou uma volta perdida. Então, esbravejou contra o oponente.

“Depois disso, ele diminuiu demais e eu tive que passá-lo novamente na reta, do contrário, não conseguiria um tempo de volta decente”, completou.

Após essa sequência de acontecimentos, Senna acabou eliminado ainda no Q1, ficando em 18º na classificação. Vergne, por sua vez, foi o último colocado do Q2. Devido à punição, porém, o brasileiro partirá em 16º e o francês, em 19º. Ambos ganharam uma posição cada por conta de outra penalização, a que foi imposta a Michael Schumacher após o GP de Cingapura, que lhe custou dez lugares no grid em Suzuka.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube