Equipes da F1 aprovam introdução de quatro testes durante temporada a partir de 2014

Após aprovação de oito das 11 equipes da F1, o Grupo de Trabalho Esportivo da FIA vai levar a proposta para o Conselho Mundial de Automobilismo da entidade, que terá lugar no próximo 28 de junho em Goodwood, na Inglaterra

A temporada 2014 do Mundial de F1 deverá ser a mais intensa da história para pilotos e equipes. O campeonato, que poderá ter até 21 corridas no calendário, deverá compreender quatro baterias de testes na pré-temporada e outras quatro durante o campeonato, logo depois de etapas realizadas na Europa. 

A proposta, discutida neste fim de semana do GP do Canadá pelo Grupo de Trabalho Esportivo da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), foi aprovada por oito das 11 equipes e será levada à mesa do Conselho Mundial de Automobilismo da entidade, no próximo 28 de junho, em Goodwood, para que possa ser discutido e oficializado para o Mundial do ano que vem.

O projeto aprovado pelas equipes compreende várias mudanças sobre o cronograma dos testes para os próximos anos. Com a reintrodução dos treinos coletivos durante a temporada, terá fim a realização dos testes com jovens pilotos, além de uma redução significativa das práticas aerodinâmicas, de oito para duas, e também dos testes usados como filmagens promocionais, que também serão cortados para dois.

Hungaroring deve ser um dos palcos dos testes durante a temporada na F1 em 2014 (Foto: Lotus/LAT Photographic)

Em seu lugar, as equipes de F1 terão mais dois dias de testes após quatro corridas disputadas na Europa. Fazem parte deste pacote as pistas de Barcelona e Silverstone. Possivelmente, Hungaroring e Spa-Francorchamps devem fazer parte deste cronograma previamente apoiado pela maioria dos times. Especula-se que Marussia e Caterham foram duas das três escuderias que rejeitaram a proposta por terem orçamento bem mais reduzido que as demais.

Quanto ao fim dos testes com jovens pilotos, uma das alternativas para minimizar o fim de tal prática pode ser a proposta para que as equipes estejam obrigadas a contar com novatos durante parte ou a totalidade das sessões de teste durante a temporada.

Um dos fatores que pode ter contribuído para a reintrodução dos testes ao longo do campeonato é o polêmico treino secreto que a Mercedes promoveu em conjunto com a Pirelli dois dias depois do GP da Espanha, em Barcelona, usando o carro de 2013 e os titulares Lewis Hamilton e Nico Rosberg. O fato será levado ao Tribunal Internacional, que provavelmente debaterá o caso em 20 de junho, quando decidirá se haverá ou não uma punição aos envolvidos.

A expectativa é que 2014 tenha quatro baterias de testes na pré-temporada, com início previsto para o fim de janeiro, sendo que três delas devem realizadas na Espanha e mais uma no Bahrein, que deve receber a abertura do Mundial do ano que vem. Assim, o cronograma do ano que vem será um dos mais apertados e intensos da história. Entre o fim do campeonato deste ano e o início da pré-temporada 2014, haverá praticamente dois meses para que as equipes coloquem na pista os novos carros equipados com motores turbo, grande novidade da F1 para o próximo Mundial.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube