Ocon lamenta incidente com Schumacher e Tsunoda: “3 na mesma curva nunca dá certo”

Francês da Alpine foi espremido na primeira volta pelos carros de Mick Schumacher e Yuki Tsunoda, que precisaram abandonar. 13º colocado, Ocon lamentou incidente e quebras de rivais

VERSTAPPEN ENGOLE MERCEDES NA LARGADA E VENCE GP DA CIDADE DO MÉXICO DE F1 | Briefing

O GP da Cidade do México, disputado no último domingo (7) com vitória de Max Verstappen, da Red Bull, teve uma primeira volta caótica. Logo na largada, não apenas Daniel Ricciardo acertou Valtteri Bottas na curva 1, como Esteban Ocon acabou sendo espremido entre a Haas de Mick Schumacher e a AlphaTauri de Yuki Tsunoda. Os dois precisaram abandonar a corrida, enquanto o francês da Alpine conseguiu continuar.

Após a disputa, o dono #31 enxergou uma relação entre os dois acidentes, e afirmou que sua colisão foi um resultado direto da batida sofrida pelo finlandês, que rodou no meio da pista enquanto os outros carros tentavam passar em volta. Ocon descreveu o caos que se tornou a corrida quando o carro #77 rodou à sua frente.

“Fernando [Alonso] estava fechando pelo lado direito, e isso empurrou Mick [Schumacher] na minha direção”, disse o francês. “E então tinha Yuki [Tsunoda] lá, sem muito espaço. Não havia muito mais o que eu pudesse fazer, da minha parte”, opinou Ocon.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

YUKI TSUNODA; ACIDENTE; GP DA CIDADE DO MÉXICO;
Yuki Tsunoda abandonou o GP da Cidade do México ainda na 1ª volta, após incidente com Ocon (Foto: F1/Twitter)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Os dois incidentes prejudicaram as corridas de todos os envolvidos: Schumacher e Tsunoda abandonaram, enquanto Ocon — que já havia largado do fundo do grid devido a uma punição por trocas no motor — terminou apenas em 13º, uma posição atrás de Ricciardo, que precisou voltar aos boxes para consertar a asa dianteira, e duas à frente de Bottas, que também precisou parar e ainda fez mais dois pit-stops no final da disputa para tirar a volta mais rápida de Verstappen — apesar de não somar o ponto.

Ocon ainda se desculpou pela forma como ocorreu a batida, mas voltou a ressaltar que “não havia nada que pudesse fazer”. Além disso, o francês encerrou dizendo que “na verdade, três carros fazendo a mesma curva é algo que nunca funciona”.

A Alpine conseguiu somar apenas 2 pontos na Cidade do México, contra 12 tentos da AlphaTauri, que teve Pierre Gasly no 4º lugar. Assim, as duas equipes passam a ficar empatadas na 5ª posição do Mundial de Construtores, com 106 pontos para cada, mas os franceses levam no critério de desempate pela vitória de Ocon na Hungria.

A próxima oportunidade que as escuderias terão para passar à frente será no GP de São Paulo, a ser disputado em Interlagos, com cobertura ‘in loco’ do GRANDE PRÊMIO entre os dias 12 e 14 de novembro.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar