F1

Ex-chefe da Honda, Brawn pede que engenheiros sigam com ‘pé no chão’ para ter sucesso com Red Bull

Quando Ross Brawn assumiu como chefe de equipe da Honda em 2008, o cenário interno era de desconexão com a realidade. Hoje diretor-esportivo da F1, Brawn acredita que os japoneses seguem precisando de “clareza a respeito do foco”

Warm Up / Redação GP, de Berlim
Ross Brawn, hoje diretor-esportivo da Fórmula 1, conhece bem o funcionamento da Honda no automobilismo. Chefe de equipe dos japoneses ao longo de 2008, Brawn viu uma escuderia com potencial, mas que não conseguia se organizar internamente. A experiência do passado serve de exemplo para o futuro: aos olhos do dirigente, o sucesso na parceria com a Red Bull só vem após entender a dimensão do desafio que existe pela frente.
 
“O segredo para o sucesso da Honda é conectar os engenheiros aos desafios da Fórmula 1”, disse Brawn, questionado pelo site ‘Motorsport.com’. “Quando cheguei na Honda, os engenheiros estavam um pouco distantes da realidade a respeito do que precisávamos. Meu trabalho era conectar os engenheiros e garantir que eles estivessem trabalhando nas coisas certas. Eles passaram a ter prioridades, informações e a noção real do que estava acontecendo. Quando cheguei, a impressão deles era de que o motor deles era um dos melhores. Com eu conhecia o da Ferrari, estava claro para mim que não era um dos melhores”, recordou.
 
“Um dos elementos mais importantes foi conectar o pessoal da Honda com a situação verdadeira, ajudar a entender as prioridades, entender qual deve ser o foco. Acho que a Red Bull vai fazer um bom trabalho em garantir que a Honda tenha clareza a respeito do foco”, seguiu.
A Honda assume como fornecedora de motores da Red Bull em 2019(Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

A equipe Honda de 2008 tinha pontos em comum com a fornecedora de motores da atualidade. Parceira da McLaren entre 2015 e 2017, a marca japonesa causou frustração ao desenvolver um motor pouco competitivo. A situação começou a mudar em 2018, quando a aliança com a Toro Rosso trouxe um novo horizonte.
 
“Tenho a impressão de que eles progrediram muito esse ano. Acho que a relação com a McLaren se desmanchou e partir para outra foi a coisa certa a ser feita. A Red Bull é uma equipe incrível que constrói carros ótimos. É uma oportunidade especial para a Honda. Espero que a Red Bull siga vencendo corridas. Se eles são capazes de vencer um campeonato no primeiro ano de parceria, não sei”, encerrou Brawn.
 
A parceria entre Honda e Red Bull é uma das grandes novidades da F1 em 2019. A marca dos energéticos optou por se aliar aos japoneses como reação à difícil convivência com a Renault.