Ex-McLaren diz que Senna “sempre pensou” que Prost recebia equipamento melhor

Jo Ramírez, coordenador da McLaren durante muitos anos, lembrou um pouco da relação entre Ayrton Senna e Alain Prost no fim dos anos 1980. Segundo Ramírez, Senna sempre achou que Prost recebia favorecimento da equipe - e o francês pensava a mesma coisa

Ayrton Senna e Alain Prost foram companheiros de equipe por apenas dois anos na McLaren, mas a rivalidade desta época perdura mesmo após 30 anos da saída do francês para a Ferrari. E os personagens daquele contexto na então imbatível esquadra inglesa ainda falam sobre o assunto vez ou outra. Jo Ramírez, coordenador-técnico da McLaren daqueles tempos, afirmou que Senna sempre achou que Prost carregava consigo melhores motores e partes de carro em geral.
 
A história, para quem não lembra, começou com a chegada do brasileiro, em 1988. Senna foi campeão naquele primeiro ano, enquanto Prost ficou com a conquista de 1989. Irritado com a situação, o francês, que era até acionista do time, deixou a McLaren para tentar levar a Ferrari de volta às conquistas – o que não aconteceu.
 
Ramírez lembrou que mesmo a relação entre os dois era de muita desconfiança mesmo antes do pacto de Ímola, em 1989, quando Senna ultrapassou Prost na primeira volta do GP de San Marino quando os dois tinham um acordo de não-agressão na primeira volta das corridas. Segundo Ramírez, bem antes disso Senna acusava a McLaren de favorecer o francês.
Alain Prost e Ayrton Senna (Foto: Reprodução/F1)

"Pode parecer que começou em Ímola, claro, quando Ayrton não respeitou o pacto. Mas antes disso Ayrton sempre pensou que dávamos o melhor material e os melhores motores a Prost, mas os motores eram sempre iguais", disse ao podcast 'Beyond the Grid'.

 
"Um dia, os mecânicos de Prost escolheram o motor para Ayrton e vice-versa. Na realidade, os carros eram como duas gotas d'água, sempre completamente iguais. Mas os dois tinham personalidades muito difíceis. Um sempre pensava que o outro recebia melhor material", recordou.
 
O mexicano ainda falou que ele conversava com Ayrton em portunhol, mas apenas quando não tinham consigo outros membros da McLaren.
 
"Quando estávamos sozinhos, normalmente falávamos em portunhol, metade português e metade espanhol. Tínhamos nosso próprio idioma. Ele falava muitos idiomas também, mas quando estávamos em equipe, aí o idioma oficial era inglês", finalizou.

Paddockast #29
ONE HIT WONDERS DO ESPORTE A MOTOR

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar