F1

Ex-presidente, Montezemolo critica layout da nova SF90 e diz que “vermelho Ferrari é sagrado”

Mesmo longe do comando da Ferrari há tempos, Luca di Montezemolo sempre dá um jeito de falar sobre a escuderia de Maranello. Em entrevista ao diário italiano ‘Tutto Sport’, o empresário e ex-presidente da equipe prometeu até esquecer da cor atual da SF90. Desde que o novo carro seja vencedor

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré

 

Se para muitos, o tom vermelho fosco (ou ‘matte’) da nova Ferrari SF90 agradou em cheio, o mesmo não pode ser dito em relação ao antigo presidente da escuderia de Maranello, Luca di Montezemolo. O empresário italiano, que comandou a principal equipe da F1 entre 1991 e 2010, criticou o layout adotado para o novo carro, que foi um dos destaques dos testes de pré-temporada da última semana, em Barcelona.
 
Em entrevista ao jornal italiano ‘Tutto Sport’, Montezemolo invocou a tradição para criticar o layout escolhido para 2019.
 
“Na minha opinião, o vermelho Ferrari é sagrado. É uma marca conhecida em todo o mundo, por isso não gosto muito e não estou convencido disso que eles dizem, que isso reduz muito o peso”, salientou o executivo, fazendo menção à pintura fosca dos carros da Ferrari, já adotada pela Red Bull nos últimos anos.
Luca di Montezemolo não gostou, mas prometeu esquecer o novo tom de vermelho se a SF90 for vencedora (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
O ex-presidente da Ferrari, no entanto, prometeu até esquecer a cor da nova SF90. Desde que o carro seja vencedor.
 
“Se isso nos levar ao tão esperado sucesso, não teria problemas. Estaria disposto a esquecer da cor”, comentou.
 
O dirigente, que nos tempos de Ferrari foi determinante para a contratação de Michael Schumacher, a partir de 1996, defendeu que a equipe adote com Sebastian Vettel a mesma filosofia, deixando o jovem Charles Leclerc como um elemento para ajudar o alemão a levar a equipe italiana de volta ao topo da F1.
 
“Ele é um bom menino, mas tem de trabalhar com Vettel e apoiá-lo. Só assim vai chegar a tão esperada vitória. Schumacher nos recomendou, e logo demos conta de que Sebastian seria o homem certo depois dos grandes anos de sucesso da Red Bull”, finalizou Montezemolo.