F1 agenda para fim de outubro apresentação das novas regras de motor para 2021. E planeja teto orçamentário

Em conjunto, FIA e a FOM vão apresentar às equipes, no próximo dia 31, o conjunto das novas regras de motor que vão entrar em vigor a partir da temporada 2021. E também está marcado para a próxima reunião do Grupo de Estratégia, marcada para 7 de novembro, a apresentação de um projeto de teto orçamentário, grande desejo do Liberty Media para equilibrar as forças na F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Grande foco de interesse das montadoras envolvidas ou que desejam se envolver na F1, o novo regulamento de motores, com previsão para entrar em vigor a partir de 2021, vai ser apresentado às equipes do grid no próximo dia 31 de outubro. A informação é da revista alemã ‘Auto Motor und Sport’. 

 
Marcas como Aston Martin e Porsche já participaram das reuniões que tiveram como pauta o conjunto de regras para baratear os custos de desenvolvimento de motor e torná-los mais acessíveis. Audi, Alfa Romeo, Ilmor e Cosworth também mostraram interesse no novo regulamento.
A F1 vai mudar seu regulamento de motores a partir de 2021 (Foto: Honda Racing/Divulgação)
O conjunto de regras a ser reveladas pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e da FOM (Formula One Management) tem como principal objetivo tornar a F1 mais barata e oferecer motores mais barulhentos e mais potentes, mas sem a complexidade das atuais unidades de potência. Uma das ideias é a introdução de um motor híbrido V6 biturbo, dotado dos sistemas MGU-H e MGU-K, em vigor no atual regulamento.
 
A ideia é justamente atrair mais montadoras, não só as grandes corporações, mas também preparadoras independentes, como Cosworth e a Ilmor. Assim, a redução dos custos de desenvolvimento é vista como primordial neste sentido.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Também segundo a publicação alemã, o Grupo de Estratégia, formado pelas seis melhores equipes da F1, além da FIA e da FOM, deve ser abolido em um futuro próximo, bem como a Comissão da F1, com Ross Brawn, diretor-esportivo, formando sua própria equipe de engenheiros, com independência das equipes do grid para discutir mudanças no regulamento técnico.

 
Para 7 de novembro, a expectativa é que o Liberty Media, dono da F1, apresente sua proposta de teto orçamentário na próxima reunião do Grupo de Estratégia, com o objetivo de que os custos das grandes equipes sejam reduzidos de forma gradual para que haja um maior equilíbrio de forças no grid. Uma das ideias é que cada equipe seja vigiada por um representante da FIA para que não seja possível esconder os gastos realizados.
STROLL RACING?

WILLIAMS PARECE SE DOBRAR ÀS VONTADES DE UM MAGNATA. O QUE É TRISTE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube