F1
27/02/2018 13:50

F1 anuncia TV própria com transmissões de corrida, conteúdo exclusivo e on demand. Mas Brasil fica fora

De olho em conceder acesso a novos e antigos fãs, a F1 anunciou a criação da F1 TV. No serviço de transmissões on demand do Mundial, que estará disponível a partir do começo da temporada, o assinante poderá desde assistir corridas por câmeras exclusivas até ver arquivos antigos
Warm Up, do Circuito da Catalunha / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 A F1 TV (Foto: F1)

A F1 está de entrada em territórios desconhecidos da distribuição de conteúdo. No começo da temporada 2018 o Mundial irá lançar a F1 TV com a intenção de conceder ao público transmissões ao vivo com narrações de diferentes países, uma enormidade de câmeras e vídeos antigos. Todo esse conteúdo no formato 'on demand'. A notícia foi anunciada no começo da tarde desta terça-feira (27).
 
De acordo com um comunicado divulgado pela F1, se trata do maior investimento do campeonato no que diz respeito à parte digital. Marca também uma tendência vista desde o ano passado, quando o Liberty Media assumiu o controle da categoria e começou a investir na interatividade com novos e velhos fãs.
 
A F1 TV dará ao assinante o poder de acompanhar corridas sem comerciais de TV e, por exemplo, a chance de escolher qualquer uma das 20 câmeras on board para assistir durante a prova. Haverá uma assinatura mais específica ainda, a F1 TV Pro, que terá à disposição câmeras de transmissão exclusivas e com a possibilidade de sobrepor imagens. Além de corridas e comentários, os assinantes poderão ouvir narrações de rádio, melhores momentos de corridas e todas as atividades. Arquivos históricos também serão encontrados.
 
Na primeira temporada, o novo serviço será disponibilizado em quatro idiomas: inglês, francês, alemão e espanhol. Aparecerá também em 12 países que, segundo a F1, serão Alemanha, França, Estados Unidos, México, Bélgica, Áustria, Hungria, e boa parte da América Latina. O Brasil, no entanto, fica fora por enquanto, segundo o diretor-comercial Sean Bratches.
A F1 TV (Foto: F1)

A situação brasileira é similar à do Reino Unido e esbarra em questões comerciais com as TVs locais. Ao passo que naquela região europeia, há dois canais fazendo cobertura da F1 — Sky Sports, referência no mundo todo e que vai servir de base para a transmissão da ESPN nos EUA; e BBC —, aqui o Grupo Globo tem os direitos de transmissão para TV e internet. O SporTV exibe os treinos livres e classificação e a TV aberta, a corrida — quando não conflita com o futebol nas tardes de domingo.

O acesso será possibilitado por computadores ou dispositivos móveis por meio de um aplicativo específico. Os preços para assinatura ficarão entre R$ 25,90 e R$ 40, de acordo com a F1.
 
"Com o lançamento da F1 TV, estamos começando uma jornada de transformação nossa na era digital. A F1 TV é claramente voltada ao fã mais aficionado por F1 e isso é importante", afirmou Frank Arthofer, diretor da divisão digital e de novos negócios da F1. "Enquanto seguimos em busca de nova audiência para o esporte, também queremos focar e entregar coisas para os fãs mais viciados na categoria", disse.
 
"Nosso objetivo com a F1 TV é simples: dar a esses fãs o melhor serviço possível para que acompanhem as corridas e tenham a melhor experiência. Nós temos também a visão de que vamos olhar para isso não só até o lançamento, mas também adiante. Live streaming é um espaço muito bom e que muda quase que diariamente", seguiu.
 
A novidade será organizada em parceria com a Tata Communications, parceira oficial da F1 para questões de provedor.
A F1 TV (Foto: F1)
"A F1 é o primeiro esporte global a adotar uma estratégia móvel tão ambiciosa. Estamos animados para fazer parte disso. Um único vídeo em plataforma OTT [over the top] com múltiplos canais e centenas de horas de melhores momentos do passado dá aos fãs o poder de criar sua própria experiência de esporte a motor. É uma forma de manter audiências já existentes apaixonadas e atrair novos fãs para o mundo da F1", falou Mehul Kapadia, diretor-gerencial da Tata.
 
O GRANDE PRÊMIO entrou em contato com a assessoria de imprensa da F1 para saber o que estará disponível para o Brasil. Tão logo haja uma resposta, esta será acrescida a esta reportagem.