F1 cogita diminuir tamanho das rodas para reduzir peso dos carros em 2026

Com a meta de diminuir o peso e o tamanho dos carros a F1 pode alterar o tamanho das rodas de 18 para 16 polegadas

A Fórmula 1 considera outra alteração significativa no tamanho das rodas do monopostos para o novo regulamento que será adotado em 2026. As atuais, de 18 polegadas, seriam diminuídas como parte do esforço para tornar os carros mais leves e menores. Uma solução em consideração é a mudança para 16 polegadas.

As lideranças da F1 têm deixado claro que a redução do peso dos carros é um dos elementos essenciais das novas regras que serão implementadas daqui a três anos. Um objetivo foi estabelecido para uma redução peso total e isso inclui uma mudança no tamanho das rodas e pneus.

“Com as novas dimensões das rodas, além da asa traseira e do carro em geral, pretendemos reduzir o peso em cerca de 50 kg. Assim, será possível que eles sejam mais curtos e mais estreitos. No entanto, estamos falando de soluções que ainda precisam ser discutidas”, afirmou Nikolas Tombazis, chefe de monopostos da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

F1 2023, GP DA BÉLGICA, SPA-FRANCORCHAMPS, QUINTA-FEIRA, PNEUS, PIRELLI, AFP
Em 2026 muitas mudanças serão feitas nos carros da F1 (Foto: AFP)

Isso converge com outras reduções que estão sendo discutidas, como da distância entre eixos (de 3600mm para 3400mm) e uma redução de 10 cm na largura (de 2000mm para 1900mm). No entanto, essas medidas ainda seriam mais largas do que os carros de 2016, que tinham apenas 1800mm de largura.

A discussão sobre rodas mais estreitas traz muitas alternativas, pois, com isso, é possível que o arrasto aerodinâmico seja diminuído, um dos pontos em que a F1 deseja concentrar esforços, devido às regulamentações do motor entregarem menos potência aos carros. No entanto, elas trazem menos aderência mecânica e, consequentemente, uma queda no desempenho.

Pat Symonds mencionou recentemente que a redução de 50 kg no peso dos carros pode ser um tanto otimista, com uma perda de 20 kg sendo mais realista. A adoção de rodas menores poderia contribuir significativamente para que a meta original seja atingida.

Além de tornar os carros mais leves, as rodas menores também ofereceriam uma nova estética aos monopostos da categoria, que se espera que tenham uma aparência bastante diferente da geração atual com efeito solo.

A F1 busca alternativas para que peso dos carros seja menor (Foto: Philip Fong/AFP)

Enquanto as lideranças da F1 buscam maneiras de reduzir o peso dos carros, alguns especialistas técnicos acreditam que a responsabilidade deveria ser mais deixada para as equipes. James Allison, diretor técnico da Mercedes, comentou sobre o problema crescente do peso na F1.

“É especialmente complicado criar regras técnicas que tornarão o carro significativamente mais leve. A maneira de fazer isso, acredito, é reduzir o limite de peso e torná-lo nosso problema. Se eles estiverem acima do limite, isso nos força a tomar decisões bastante difíceis sobre o que colocamos em nossos carros e o que não incluímos. Nem todos concordam com esse ponto de vista. Mas, na minha opinião, essa é a maneira mais garantida de conseguir diminuir o peso dos monopostos”, finalizou o dirigente.

Fórmula 1 retorna logo mais, às 14h30 deste sábado (7), para a largada da corrida sprint do Catar. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL. Há também a transmissão da corrida curta em segunda tela, em parceria com a Voz do Esporte, a partir das 14h15.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.