F1 estuda mudar férias para abril e novo calendário sem GPs da China e Mônaco

Segundo a revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, a Fórmula 1 cogita alternativas para poder realizar o máximo possível das corridas em 2020. A ideia é poder realizar 19 GPs em 26 semanas

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 

☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Ainda é impossível apontar quando o caos global provocado pela pandemia do novo coronavírus vai arrefecer, mas a F1 já começa a estudar alternativas para desenvolver um novo calendário para a temporada 2020. Segundo informa a revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, as equipes do grid concordaram com a antecipação das férias de verão, período que habitualmente acontece em agosto, para abril ou maio. Outro ponto, que diz respeito à própria realocação das corridas, compreende uma programação de 19 GPs em 26 finais de semana, com três corridas originalmente previstas fora: Austrália, China e Mônaco.
 
De acordo com a publicação, Chase Carey, chefão da F1; Ross Brawn, diretor-esportivo da F1 e os chefes das equipes do grid vão se reunir para aprovar a programação para a temporada. Tudo em caráter provisório em razão da situação imprevisível face ao novo coronavírus.
O tradicional GP de Mônaco tem grandes chances de não acontecer em 2020 (Foto: Beto Issa)
Quanto ao período de férias, a medida visa deixar agosto livre para que ao menos uma corrida seja realocada, como o GP da Holanda, originalmente marcado para 3 de maio, sendo realizado em 23 de agosto. Já o GP da Espanha, diz o site espanhol ‘Soy Motor’, tem a possibilidade de ser encaixado em 26 de julho, justamente uma semana antes do GP da Hungria e uma semana depois do GP da Inglaterra.
 
Se o cronograma avaliado pela Fórmula 1 em conjunto com as equipes for confirmado, a categoria vai abrir a temporada em 7 de julho — sendo assim o início mais tardio de um Mundial de F1 na história —, com o GP do Azerbaijão. A ideia é que a programação original seja cumprida com os GPs do Canadá, uma semana depois de Baku, e da França, no dia 28 do sexto mês. 
 
Sete dias após a etapa em Paul Ricard, vem o GP da Inglaterra, que abriria a primeira sequência de três GPs em três finais de semana seguidos, com a F1 correndo depois na Espanha e Hungria. A segunda rodada tripla aconteceria com o GP da Holanda, em 23 de agosto, da Bélgica, no dia 30 e o GP da Itália, em 6 de setembro.
 
O possível novo calendário traz a chance de trazer, pela primeira vez na história da F1, uma sequência de quatro finais de semana com GPs: Singapura, em 20 de setembro; Rússia, no dia 27; GP do Vietnã — originalmente marcado para 5 de maio — em 4 ou 18 de outubro; e o do Japão, no dia 11.
 
A última fase do calendário começaria em 25 de outubro com o GP dos Estados Unidos; 1º de novembro com o GP do México; GP do Brasil, em 15 de novembro. E, por fim, dois GPs muito próximos: Bahrein, em 29 de novembro; e o GP de Abu Dhabi, preservando a condição de corrida de encerramento do campeonato, sendo realizado uma semana depois do previsto, em 6 de dezembro.
 

Paddockast #52
PREVISÕES CERTEIRAS E OUSADAS PARA F1 2020

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar