F1 exalta postura no processo de cancelamento do GP da Austrália: “Fizemos bom trabalho”

Ross Brawn explicou a linha adotada pela categoria até o momento do anúncio do cancelamento da prova. O diretor-esportivo também justificou a demora da decisão tomada para a corrida em Melbourne


 

Ross Brawn explicou todo o processo de decisão da Fórmula 1 em relação ao GP da Austrália. O diretor-esportivo apontou o motivo da demora do cancelamento da prova e se vê satisfeito com o desfecho escolhido.
 

O final de semana em Melbourne começou envolto a dúvidas. O coronavírus foi tema bastante presente no paddock, especialmente após funcionários da Haas fazerem o teste para o vírus. Mas tudo mudou depois que a McLaren decidiu não disputar a prova por ter um membro do time positivo para o Covid-19.
 
Os questionamentos sobre se a categoria deveria continuar com a etapa começaram a ganhar força. Lewis Hamilton já havia mostrado o descontentamento, assim como Sebastian Vettel. Inclusive, antes do anúncio oficial, o alemão, assim como Kimi Räikkönen, deixaram Albert Park e voltaram para suas casas.
 
Então, na manhã da sexta-feira australiana, a F1 anunciou a decisão de cancelar a abertura da temporada. Daniel Ricciardo se mostrou frustrado, mas apoiou a decisão. A mesma postura foi mostrada pelo hexacampeão da Mercedes.
Sem GP da Austrália no final de semana (Foto: Reprodução)
“Acredito que fizemos um bom trabalho em chegar à conclusão certa com tantas partes e interessados envolvidos. Falamos com a FIA na Europa e times europeus, tivemos que falar com Jean Todt, com Chase [Carey], que infelizmente estava em um voo do Vietnã para cá, então foi um período estressante”, disse Brawn.
 
“Considerando que lidamos com tudo em 12 horas sobre um assunto tão importante, foi bom”, completou.
 
O dirigente ainda disse em entrevista ao site oficial da F1 que “temos um grande impacto na economia daqui e isso tem um grande impacto em nossa economia. A Fórmula 1 tem de funcionar, temos de fazer funcionar.”
 
“Então olhamos para a situação toda e, quando decidimos ir em frente, parecia um pouco diferente de como está agora. Provavelmente, o que surpreendeu todos foi a rápida expansão do problema”, seguiu.
 
“A escalada dos casos, certamente em países como na Itália, onde tem sido quase vertical, acho que ninguém poderia imaginar ou prever isso. Conversei com Mattia Binotto na Ferrari muitas vezes durante as últimas semanas, e seu humor mudou do que está vendo na Itália e do que tem visto no país”, continuou.
 
“Estávamos meio que nesse barco que navegou e estávamos otimistas que conseguiríamos passar por isso. Tínhamos confiança de que a F1 iria começar e que teríamos uma ótima corrida e isso trouxe um pouco de alívio em tempos difíceis”, emendou.
 
“Uma vez que tivemos um caso positivo, e uma vez que uma equipe não poderia correr por conta disso, então claramente tínhamos um problema para lidar”, concluiu.
 
Paddockast #52
PREVISÕES CERTEIRAS E OUSADAS PARA F1 2020

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube