F1

Fã incondicional, Pérez chora morte do criador de Chaves e Chapolin e diz que “se foi um grande”

Sergio Pérez usou as redes sociais para lamentar a morte de Roberto Gómez Bolaños, a quem já homenageou durante um fim de semana enquanto era piloto da Sauber em 2012. “Vai ficar para sempre em nossos corações”, disse o mexicano

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
A morte de Roberto Gómez Bolaños nesta sexta-feira (28) pegou o México e os fãs de todo o mundo que acompanhavam as séries de por Chespirito de surpresa. Criador das personagens Chaves e Chapolin, Bolaños foi um dos maiores humoristas latino-americanos de todos os tempos e havia anos que estava imobilizado na cama de sua casa na cidade de Cancún.

Um dos primeiros a se manifestar foi Sergio Pérez, fã declarado de Chespirito. O mexicano, que há dois anos, quando era piloto da Sauber, usou um capacete com o desenho do Chapolin Colorado, usou as redes sociais para lamentar a morte e dizer que "se foi um dos grandes".


Bolaños tinha 85 anos e as causas de sua morte ainda não foram oficialmente divulgadas. Chespirito vinha com complicações respiratórias e vivia com uma sonda nasal em consequência das várias décadas de fumante. O conhecido Chaves do 8 foi casado com Florinda Mesa, que interpretou a personagem homônima na famosa série que o SBT exibe há três décadas.
Sergio Pérez correu com o capacete com Chapolin em 2012 pela Sauber (Foto: Divulgação)
AS PAZES COM O TÍTULO?

Rubens Barrichello desembarca neste fim de semana em Curitiba na condição de favorito ao título da Stock Car. O piloto precisa apenas de um quarto lugar para garantir a faixa de campeão. É a primeira vez em 23 anos de carreira que Barrichello, 42 anos, vai viver uma etapa efetivamente decisiva.

A última vez em que isso aconteceu foi em 1991, quando conquistou o título da F3 Inglesa. Naquela época, o brasileiro já chamava atenção pelos resultados vitoriosos no kart e estava só em sua terceira temporada nos monopostos.


Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
GRANDE PRÊMIO NO
MUNDIAL DE ENDURANCE


O fim de semana também tem a etapa final do Mundial de Endurance (WEC) em Interlagos e vai contar com a volta às pistas de Emerson Fittipaldi. O bicampeão da F1 e campeão da Indy vai guiar uma Ferrari 458 Italia.

As 6 Horas de São Paulo vão marcar também a disputa de título entre as equipes Toyota e Audi e a despedida do maior piloto da história do endurance, Tom Kristensen.

O GRANDE PRÊMIO cobre 'in loco' o WEC em Interlagos com os jornalistas Renan do Couto e Gabriel Curty e os blogueiros Flavio Gomes e Rodrigo Mattar.
Acompanhe tudo aqui.
BLOND. JANE BLOND

Diante da pior temporada de seus últimos 22 anos — sem nenhuma vitória —, a Ferrari resolveu reagir não só mudando de piloto, chefe de equipe e outras pessoas importantes de sua cúpula. E um dos pontos de partida está em descobrir os segredos de quem fez um dos melhores carros da história da F1.

Assim, a Ferrari fez uso de um espião nos testes em Abu Dhabi. Um espião, não. Uma espiã. Que logo foi batizada por 'Jane Blond', em alusão à famosa personagem de James Bond.


Leia a ESPIONAGEM/REPORTAGEM completa no GRANDE PRÊMIO.