F1

"Faltou amor": Ricciardo diz que negociação para ficar na Red Bull foi falha até sentimentalmente

Daniel Ricciardo revelou que sua saída da Red Bull também teve a ver com o que sentiu durante as negociações. E que, para ele, talvez tenha faltado carinho com alguém que passou tanto tempo na equipe
Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Quem disse que esportista é puro pragmatismo? Eles também têm sentimentos. Daniel Ricciardo mostrou isso nesta terça-feira (12), ao comentar mais uma vez os motivos pelos quais deixou a Red Bull e se mudou para a Renault.

Em entrevista ao jornal australiano 'The Age', o piloto comentou sobre como sentiu durante as negociações para renovar o contrato com Red Bull que Max Verstappen, seu então companheiro, era o "favorito" da equipe.

"Talvez o amor (por mim) não estivesse lá", disse. "Eu senti como se tivesse que trabalhar mais duro ainda para justificar o que eu queria, e o que meu desempenho mostrava que eu merecia."
Daniel Ricciardo (Foto: Renault)
Para Ricciardo, nada em sua saída teve relação com o carro disponibilizado para ele: "Não é como se Max ivesse uma melhor ou mais nova asa, por exemplo."

"Mas ele está comprometido com a equipe há tanto tempo e desde tão jovem, assinou um contrato tão grande, que me passou uma sensação de que a equipe estava pensando que ele colocou mais fé nele do que eu, e nossas conversas estavam demorando muito. Talvez a Red Bull tenha pensado 'você não vai sair daqui', mas eu acho que essa é a mentalidade errada", completou.

De qualquer forma, Ricciardo assinou com a Renault por dois anos - e começa oficialmente a fazer valer tal acerto no próximo final de semana, quando a F1 abre sua temporada 2019 na Austrália.