“Felicidade e orgulho”: Haas festeja terceira fila na Austrália com Magnussen e Grosjean em “dia fantástico para a equipe”

A Haas continua dando o que falar neste início de temporada. Depois de uma sexta-feira bem sólida com Romain Grosjean, Kevin Magnussen foi tão bem quanto seu companheiro de equipe no treino classificatório. A boa performance do VF-18 — que Fernando Alonso apontou como uma réplica da Ferrari de 2017 —, combinado com a punição imposta a Daniel Ricciardo, vai fazer os dois pilotos largarem lado a lado na terceira fila em Melbourne

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Haas viveu um sábado (24) de sonho na primeira classificação da temporada 2018 da F1. Com um carro que se mostra bem-nascido, foi um dos destaques dos testes de inverno e já desperta polêmica — Fernando Alonso apontou o VF-18 como uma réplica da Ferrari SF70H de 2017 —, a equipe norte-americana conseguiu apenas pela segunda vez em sua curta história ter os dois carros no Q3. E, de quebra, alcançou o melhor grid da sua história e vai formar toda a terceira fila do GP da Austrália com Kevin Magnussen em quinto e Romain Grosjean ao seu lado.

 
A posição de ‘melhor do resto’, no topo dentre as equipes depois de Mercedes, Ferrari e Red Bull, já havia sido consolidada pelas mãos de Grosjean na última sexta-feira, no segundo treino livre. Neste sábado, o franco-suíço voltou a andar bem, enquanto Magnussen andou no mesmo ritmo do companheiro de equipe. 
 
Se a performance ao longo do fim de semana já era promissora por si só, a punição imposta a Daniel Ricciardo — que foi o quinto mais rápido do Q3, mas caiu para oitavo lugar — e o acidente sofrido por Valtteri Bottas no início da fase final da sessão alavancou ainda mais os dois pilotos da equipe de Kannapolis, que alcançaram uma terceira fila histórica para a equipe.
Kevin Magnussen alcançou a melhor posição da Haas no grid de largada na F1 (Foto: Haas)
Guenther Steiner, chefe da escuderia norte-americana, destacou o trabalho feito por todo o time, dos pilotos aos mecânicos, e comemorou o feito da Haas.
 
“Não é um sábado ruim. Correspondemos com o que mostramos desde o começo da temporada. É difícil, nossos oponentes são fortes e não podemos baixar a guarda. É um dia fantástico para a equipe. Eles podem se orgulhar do que fizeram. No terceiro ano, começar largando em quinto e sexto lugar, é fantástico. Amanhã é outro dia difícil. Precisamos apenas buscar o máximo que pudermos em termos de pontos. Foi um dia muito bom para a Haas”, vibrou o dirigente italiano.
 
Magnussen marcou 1min23s187 como melhor tempo. Em que pese a diferença de 2s023 para a fenomenal volta alcançada pelo pole-position, Lewis Hamilton, o tempo do dinamarquês foi cerca de 0s3 mais rápido que a segunda equipe do pelotão intermediário, a Renault, com Nico Hülkenberg. O que mostra o quão bom é o novo VF-18.
 
“O carro estava bom para pilotar na classificação. Foi simplesmente performar. Consegui acelerar nos pontos de frenagem, e fui antecipando cada vez mais as frenagens a cada volta. Não foi nada inesperado, o que foi muito legal. Estou ansioso para amanhã largando a partir de quinto”, disse K-Mag.
 
“Temos alguns caras rápidos atrás de nós e teremos de fazer um bom trabalho para seguir assim. Vamos fazer todo o possível para lograr um bom resultado. Precisamos de um começo sólido para a temporada e precisamos capitalizar o resultado da classificação de hoje”, complementou.

Grosjean também vibrou com a performance da equipe, mas alertou: não dá para comemorar muito quando se tem pela frente uma dura batalha contra poderosas equipes como a Renault e a McLaren

 
“Todo mundo está feliz, e isso reflete o trabalho duro de todos dentro da equipe. Nosso resultado confirmou um pouco o que vimos nos testes de inverno. Posso acelerar o carro o tanto quanto quero, o que, obviamente, me deixa muito feliz. Também foi um bom trabalho do Kevin para colocar os dois carros na terceira fila do grid amanhã. Vai ser incrível estar lá”, destacou o franco-suíço, que aposta em manter a boa performance na corrida em Melbourne.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Os pontos são possíveis. Obviamente, queremos manter nossas posições. Estamos largando numa boa posição, mas vamos ver amanhã o que acontece. É um bom começo e podemos ficar muito orgulhosos, mas precisamos seguir trabalhando”, concluiu.

 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL todo o fim de semana do GP da Austrália, etapa de abertura da temporada 2018 da F1.
”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube