Fernandes deixa cargo de chefe de equipe da Caterham para se dedicar a carros de rua

Apesar de a decisão já estar tomada, o dirigente ainda não anunciou quem será o sucessor no comando da equipe malaia, mas afirmou que é alguém que já trabalha na própria F1.

Tony Fernandes não será mais o chefe de equipe da Caterham. O dirigente anunciou nesta terça-feira (6) que vai deixar o cargo antes do final da temporada para se dedicar à divisão dos carros de rua da montadora. A decisão acontece em um momento que a empresa formalizou uma parceria com a Renault para reeditar o modelo Alpine.

“Do lado automobilístico, nós chegamos à conclusão de que é melhor outra pessoa assumir o cargo de chefe de equipe para evoluirmos. Nós definitivamente somos melhores como empresários do que para acharmos décimos de segundo a cada volta”, revelou o dirigente à revista inglesa “Autocar”.

Tony Fernandes decidiu bastar o bastão como chefe da Caterham (Foto: Caterham)

Fernandes explicou que teve a intenção de assumir o comando da equipe para liderá-la nos primeiros anos de vida até poder escolher um sucessor, já com a escuderia estabilizada. “Era o correto liderarmos o time no início e montar uma base de como deveria ser. Essa visão agora está feita, e a equipe está pronta para brigar pelo meio do pelotão”, disse.

O dirigente afirmou, ainda, que já sabe quem será o sucessor, mas ainda não pode revelar o nome do escolhido, apenas dizer que é alguém que já trabalha na F1. “Eu sei quem será e posso dar certeza, já que tive a confirmação hoje mais cedo. Mas eu ainda não posso revelar o nome. Tudo o que posso dizer é que eles são de dentro da F1”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube