Ferrari manifesta apoio ao presidente da FIA sobre saída de Masi: “Temos de confiar na F1”

Mattia Binotto, chefe da equipe italiana, ressaltou as dificuldades de se tomar decisões em momentos de alta pressão, mas apoiou a saída de Michael Masi da direção de prova da Fórmula 1

A Ferrari achou que a quinta-feira (17) seria de holofotes para a F1-75, carro da escuderia para 2022. Porém, logo após o evento, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) roubou a cena ao anunciar a saída de Michael Masi do posto de diretor de provas da Fórmula 1. Mattia Binotto, chefe da equipe italiana, não teve como evitar perguntas sobre o assunto durante o lançamento do modelo vermelho e preto.

Binotto deu a entender que a saída de Masi já estava definida desde a reunião entre as equipes e a FIA na segunda-feira. O engenheiro italiano disse que todos estavam conscientes da mudança e que nenhuma equipe foi pega de surpresa.

“Antes de tudo, sempre estivemos completamente conscientes sobre a razão pela qual discutimos o assunto na reunião da Comissão da F1 nesta semana, parte do Conselho Mundial, então não é uma surpresa para nós. Foi muito conversado e analisado com as outras equipes”, contou o dirigente.

A saída de Masi vem após o conturbado GP de Abu Dhabi. Na ocasião, a decisão do australiano de liberar retardatários para ultrapassar o safety-car na última volta permitiu que Max Verstappen se aproximasse de Lewis Hamilton e conquistasse seu primeiro Mundial de Pilotos.

 ▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Mattia Binotto
Mattia Binotto apoiou a saída de Michael Masi da direção de prova da F1 (Foto: Ferrari)

A Ferrari não esteve envolvida diretamente no incidente, mas Binotto defendeu Masi ao ressaltar a dificuldade de tomar decisões em momentos de alta pressão. “É duro para a Fórmula 1, as equipes e todos que trabalham neste ambiente tão difícil porque a pressão é muito alta. A comunicação entre as equipes e o diretor de prova é difícil. Não é uma situação óbvia, é difícil tomar a decisão”, disse o chefe da equipe italiana.

Sem querer se envolver muito na briga, o chefão dos italianos revelou ter confiança na FIA e em seu novo presidente, Mohammed Ben Sulayem, para tomar as melhores decisões para a Fórmula 1, e assim apoiou a escolha pela saída de Masi.

“Precisamos confiar plenamente na independência da F1 e em sua capacidade de tomar as decisões corretas”, afirmou. “Só podemos apoiá-los, assim que, como Ferrari, apoiamos as decisões do novo presidente. Continuaremos trabalhando para melhorar as corridas”, concluiu.

A Ferrari vai fazer o teste inicial com a F1-75 nesta sexta-feira (18) em Fiorano. A equipe ainda fará um dia de filmagens em Barcelona, um dia antes dos testes de pré-temporada da Fórmula 1 que acontecem entre os dias 23 a 25 de fevereiro na Espanha.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar