Ferrari cogitou rebatizar motores como Alfa Romeo para resolver entrave da Red Bull, diz site

Ferrari e Red Bull, enquanto ainda negociavam uma parceria técnica para 2016, chegaram a levantar a possibilidade de rebatizar as unidades italianas como Alfa Romeo. Segundo o site ‘Motorsport.com’, esta seria a condição para que a negociação seguisse adiante, dando um drible em regras de fornecimento da F1

O retorno da marca Alfa Romeo poderia ter sido a solução para o dilema dos motores da Red Bull. Enquanto os austríacos conversavam com a Ferrari sobre o possível fornecimento de unidades italianas – possibilidade hoje inexistente –, a esquadra de Maranello chegou a pensar em rebatizar suas unidades. Esta seria a condição carcamana para que os rivais recebessem a mesma unidade de Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen.
 
A informação, do site ‘Motorsport.com’, indica que a ideia inicial era que as duas equipes trabalhassem no desenvolvimento dos motores de 2016. Com motores de nomes diferentes, as esquadras poderiam trabalhar com homologações diferentes de motor – o que não é permitido para uma única unidade. Assim, a dupla driblaria a FIA, dando nomes diferentes para componentes iguais.
A Alfa Romeo, tradicional nome da F1, quase voltou ao esporte (Foto: Arquivo)
O uso do nome Alfa Romeo, marca italiana que dominou a F1 em suas primeiras temporadas, seria também uma forma de valorizar a companhia, parte do mesmo conglomerado que a Ferrari.
 
A ideia não foi para frente por alguns motivos. A Red Bull, por exemplo, teria altos custos para desenvolver motores próprios – cargo hoje ocupado pela Renault. Além disso, a Ferrari teria medo de ser superada por uma equipe que usa seus próprios motores, mesmo que com outro nome.
 
A Ferrari, todavia, ainda se diz aberta para uma parceria com a Red Bull. Sergio Marchionne, dirigente italiano, só frisou que as equipes não deveriam ter um motor idêntico.
 
A Red Bull, ainda sem fornecedora para 2016, garantiu que seguirá no grid. A companhia, todavia, vê todas as companhias da F1 – Renault, Mercedes, Ferrari e até Honda – negarem a parceria.
 

O GRANDE PRÊMIO acompanha o GP do Brasil com grande cobertura 'in loco' com Flavio Gomes, Evelyn Guimarães, Fernando Silva e Rodrigo Berton. Acompanhe aqui.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Quer ganhar um super kit do GRANDE PRÊMIO no GP do Brasil de F1? Então participe do 'Traz mais um no GP'.É simples:…

Posted by Grande Prêmio on Quinta, 12 de novembro de 2015

PADDOCK GP COM FELIPE MASSA: ASSISTA JÁ

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube