Ferrari e McLaren elevam sarrafo e ratificam evolução em Ímola. Red Bull se perde e sofre

Depois de apresentar um robusto pacote de atualizações para a primeira de suas duas corridas em casa, a Ferrari mostrou velocidade e é forte candidata à pole em Ímola. Mas vai enfrentar uma dura concorrência que chega em laranja. Sim, a McLaren confirmou o passo à frente dado em Miami e é igualmente favorita não só à posição de honra do grid, mas também à vitória. E a Red Bull, hein? Os taurinos levaram peças novas para o GP da Emília-Romanha, mas nada saiu como esperado. Max Verstappen se enfureceu com a falta de ritmo do carro austríaco

A Fórmula 1 desembarcou na Europa diante da expectativa de uma briga mais equilibrada na ponta da tabela, impulsionada pela vitória de Lando Norris, há duas semanas, em Miami, e também apoiada na perspectiva das boas atualizações não só da McLaren, mas principalmente da Ferrari. E o primeiro dia de treinos livres em Ímola, que sedia o GP da Emília-Romanha, se mostrou promissor. Não só pela liderança de Charles Leclerc e a confirmação de que a equipe laranja acertou nas modificações que fez nos EUA, mas especialmente diante de uma Red Bull pouco confiante — de novo.

E na volta a um fim de semana mais comum depois de duas etapas sprint, a Ferrari aproveitou também a corrida caseira para introduzir um pacote robusto de atualização. Como tem acontecido sob a gestão Frédéric Vasseur, a escuderia se preparou muito para a prova italiana. Entre as principais mudanças na SF-24, estão todo o conjunto dianteiro, assoalho e sidepod — este muito semelhante ao do RB20. A ideia é melhorar o desempenho nas curvas de baixa e média velocidades, além de continuar a administrar bem o desgaste de pneus. Até o momento, os dados sugerem também um acerto por parte dos engenheiros de Maranello.

Leclerc foi o mais rápido do dia, mas não só isso. Empurrado por uma nova unidade de potência, o monegasco se mostrou veloz nos trechos mais rápidos do circuito e também na parte mais sinuosa — não houve problemas em nenhum dos três setores do traçado. O ritmo de classificação parece ter sido retomado, e o carro vermelho é, sim, um candidato dos mais fortes à pole neste sábado. Em termos de ritmo de corrida, Charles foi consistente em cima dos pneus médios, embora tenha perdido ligeiramente para a McLaren de Norris. Ainda assim, dá para colocar os ferraristas na briga.

Até agora tudo está indo muito bem, a sensação com o carro é boa. Além disso, as atualizações estão funcionando como esperado, o que também é um bom passo”, contou Leclerc. “Foi um dia tranquilo, é ótimo estar em casa. Mas precisamos manter nossos pés no chão porque amanhã haverá grandes mudanças nas condições do tempo e a posição na pista aqui é absolutamente tudo. A classificação será crucial para fazermos um bom trabalho. Há muito trabalho a ser feito, mas vamos dar tudo de nós para fazer uma ótima classificação amanhã”, completou.

Enquanto isso, a McLaren foi capaz de se colocar muito próxima da Ferrari. Desta vez, a esquadra chefiada por Andrea Stella equipou os dois carros com as novidades e ainda dividiu as tarefas entre Norris e Piastri, focando principalmente no domingo. Mas há velocidade em volta única. O australiano terminou o dia a somente 0s192 do líder e com certa tranquilidade. Já Lando cometeu um erro na Rivazza durante a simulação de classificação e acabou perdendo a chance de saltar na tabela. Mesmo assim, a dupla deve fazer frente neste sábado.

Só que, mais do que a performance na decisão das posições de largada, a McLaren se destacou mesmo no ritmo de corrida. Norris apresentou enorme regularidade em cima dos pneus médios — foi o melhor stint nesse composto do dia. No entanto, foi Oscar quem chamou a atenção. O piloto do carro #81 conduziu uma simulação impressionante com pneus duros, sempre na casa de 1min20s6 — como referência, o companheiro de equipe obteve quase a mesma média, numa variação de 0s1. Então, a grande arma dos ingleses está na condição de prova.

Em uma comparação de forças, a Ferrari domina os três setores e parece muito forte nos trechos de média velocidade, a McLaren vai bem nas curvas de baixa e voa nas retas. “Talvez tenha sido uma de nossas melhores sextas-feiras até aqui. Estamos todos próximos, então vamos ver se conseguimos encontrar algo para amanhã, mas foi um dia encorajador. A equipe fez um bom trabalho trazendo as atualizações para o meu carro também, agradeço a eles“, disse Piastri.

A sensação de que a equipe de Woking está ainda melhor do que mostrou surgiu também na declaração do chefe Andrea Stella. “Por causa da sprint não tivemos tempo suficiente para realizar todos os testes necessários. A boa notícia é que tudo parece estar indo de acordo com as expectativas”, afirmou o italiano.

Oscar Piastri cravou o segundo melhor tempo da sexta-feira (Foto: Pirelli)

E neste ponto vale destacar ainda dois elementos que tornaram a sexta-feira ainda mais divertida em Ímola. A primeira coisa é o fato de Yuki Tsunoda cravar o terceiro melhor tempo da tabela. Impressiona porque a RB foi a única equipe do grid que não levou qualquer tipo de atualização, nem mesmo algo específico para o traçado italiano. Ainda assim, o japonês foi capaz de se impor. Mas ninguém na escudeira de Faenza soube explicar a performance.

O outro ponto que chamou a atenção foi a Mercedes. A esquadra alemã completou seu pacote de atualizações em Ímola, procurando uma melhor eficiência aerodinâmica. A resposta foi promissora: Lewis Hamilton fechou a sexta com a quarta colocação da tabela, uma posição à frente do colega George Russell. A diferença de ambos para o líder Leclerc ficou em 0s4. Certamente, há um trabalho a ser feito em termos de volta única, mas o ritmo de corrida foi bem mais interessante.

Ao contrário de outros times, os octacampeões optaram por stints apenas com pneus duros. E nesse sentido, a performance foi mais consistente, embora longe dos números da McLaren. Mesmo assim, é um desempenho que abre uma chance aos alemães. “Tivemos um dia produtivo hoje. O carro funcionou bem nas duas sessões e conseguimos melhorar o equilíbrio ao longo do dia. Todas as atualizações que trouxemos funcionaram, o que é animador. Mas a experiência das últimas corridas nos ensinou que temos uma lacuna considerável para preencher”, reconheceu Andrew Shovlin, engenheiro de pista da Mercedes.

Dito tudo isso, ainda falta a Red Bull. Pelo segundo fim de semana consecutivo, a líder do campeonato se vê desconfortável. Como as rivais, os taurinos também investiram muito em atualizações, visando aprimorar o downforce e o desempenho dos pneus, mas nesta sexta-feira nada funcionou a pleno pelos lados dos austríacos. O RB20 se mostrou arisco e arrancou queixas de Max Verstappen foi a pior sexta-feira dos atuais campeões na temporada. O tricampeão viveu novamente um dia de muitos erros e escapadas de pista. Tudo por conta do desequilíbrio do carro azul.

Yuki Tsunoda foi a surpresa do dia em Ímola (Foto: Red Bull Content Pool)

Verstappen encerrou o dia de treinos insatisfeito e em uma discreta sétima colocação, mais de 0s5 atrás da Ferrari de Leclerc. Sergio Pérez apareceu logo na sequência, em oitavo. Além disso, a simulação de corrida esteve longe da consistência habitual. Na verdade, a equipe taurina não foi capaz de reproduzir a performance de suas rivais. O segundo setor da pista é um problema, e a reclamação maior está realmente na falta de aderência.

“Um dia difícil em que não conseguimos um bom equilíbrio do carro. Não estou me sentindo confortável e é muito fácil perder o controle do carro. Então, temos algumas coisas para analisar pois o dia de hoje foi simplesmente ruim. Os stints longos também não são bons, então definitivamente temos coisas para melhorar se quisermos ser competitivos amanhã”, disparou Verstappen.

“Também estamos muito fora do ritmo e temos de arrumar isso. Acho que nada pode ser pior do que o que tivemos hoje”, completou.

Portanto, o fim de semana do GP da Emília-Romanha começa intrigante. Enquanto Ferrari e McLaren ampliaram a altura do sarrafo, a Red Bull parece sofrer mais com as próprias criações. E não só isso, o autódromo Enzo e Dino Ferrari também será um fator importante: além de difícil ultrapassagem, a posição de pista é essencial na classificação. E o posto no grid, consequentemente, será crucial no domingo — mesmo com chuva.

Max Verstappen terminou o dia inconformado com o RB20 (Foto: Red Bull Content Pool)

GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do GP da Emília-Romanha de Fórmula 1 e transmite classificação e corrida em segunda tela, em parceria com a Voz do Esporte, na GPTV, o canal do GP no Youtube. Além disso, debate tudo que aconteceu na pista com o Briefing após treinos livres e classificação, além de antes e depois da corrida. No sábado, o TL3 será às 7h30 (de Brasília, GMT-3), ao passo que a classificação oficial está marcada para as 11h. Por fim, a largada está marcada para as 10h do domingo. 

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.