F1

Ferrari e Red Bull se irritam com pneus de 2019 e cobram mudança imediata da Pirelli. Que se recusa

Ferrari e Red Bull concordam que os pneus de 2019, com camadas mais finas do que os de 2018, são um erro. Sem se acertar com os compostos e vendo a Mercedes em grande vantagem, as equipes querem mudanças imediatas – que a Pirelli diz considerar apenas para a temporada 2020

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
2019 começou com mudanças profundas na construção dos pneus Pirelli para a temporada da Fórmula 1 – depois de um 2018 com camadas grossas de borracha nos compostos, agora o que se vê é uma consideravelmente mais fina. Do ponto de vista de Ferrari e Red Bull, um erro: as escuderias já fazem críticas públicas aos pneus e ensaiam entrar em um cabo de guerra com a Pirelli.
 
Isso porque Ferrari e Red Bull – não só insatisfeitas, como até aqui incapazes de extrair o melhor rendimento dos pneus – querem que os pneus de camadas grossas voltem o mais cedo possível, usando a necessidade de melhorar a qualidade das corridas como argumento.
 
“Os pneus não superaquecem mais e, desse jeito, quase não se desgastam”, disse Mattia Binotto, chefe da Ferrari. “Todos os GPs viraram corridas de uma parada, e isso é ruim para o espetáculo”, seguiu. Helmut Marko, consultor da Red Bull, concordou: “Não podemos deixar que os pneus decidam tudo. Hoje não importa quão bom seu carro seja. Se você não está na janela [de funcionamento do pneu], você não tem chances”.
Os pneus da Pirelli causam controvérsia na F1 (Foto: Reprodução/Twitter)
“A Mercedes tem uma grande vantagem nesse momento por conta da estupidez que foi a mudança dos pneus”, seguiu Marko. “Temos nove equipes que estão sofrendo e só uma que se beneficia. A volta de aquecimento dos pneus virou mais importante do que a de classificação. Sem a temperatura ideal, está tudo arruinado. Numa corrida, talvez tenhamos o carro mais rápido em um certo momento. Mas aí, se um safety-car entra, os pneus esfriam e você fica acabado”, apontou.
 
A Haas, através de Guenther Steiner, também já fez críticas públicas aos pneus de 2019. A McLaren, vivendo boa fase no pelotão intermediário, defende a permanência dos compostos atuais.
 
A Mercedes venceu todas as seis corridas do ano até aqui. A equipe sobra e já acumula cinco dobradinhas até aqui.
 
Apesar das críticas, a Pirelli não tem intenção de reagir no meio de 2019. Mudanças, só em 2020, indica o chefe Mario Isola. “Reduzimos a camada dos pneus por questões de segurança. Não vamos mudar isso esse ano. Vamos fazer mudanças em 2020 de acordo com as experiências desse ano. Talvez mudemos a grossura dos pneus”, encerrou.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todos os treinos livres, a classificação e o GP do Canadá de Fórmula 1 AO VIVO e em TEMPO REAL

 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo 

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.