F1
21/07/2018 09:35

Ferrari marca reunião com cúpula para decidir se Marchionne fica ou deixa presidência

O site ‘Automotive News Europe’ divulgou que Sergio Marchionne pode deixar a presidência da Ferrari mais cedo do que o planejado devido a questões médicas envolvendo uma cirurgia no ombro direito. A reunião acontece neste sábado e pode confirmar o novo presidente da equipe
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Sergio Marchionne é o presidente da Ferrari (Foto: Getty Images)

A saída de Sergio Marchionne da Ferrari estava prevista para acontecer no fim deste ano, mas algumas questões estão adiantando o processo de desligamento. O presidente da escuderia italiana e diretor-executivo da Fiat sofre com problemas médicos causados por uma cirurgia no ombro direito e a montadora já levanta opções para substituir o dirigente.
 
Segundo o site ‘Automotive News Europe’, uma reunião acontece neste sábado para discutir a sucessão de Marchionne em seus cargos. Para o posto na Fiat, surgiram quatro nomes como alternativa: Alfredo Altavilla, chefe de operações do grupo Fiat, Richard Palmer, diretor financeiro, Pietro Gorlier, diretor-executivo da Magneti Marelli e Mike Manley, chefe da marca Jeep.
Sergio Marchionne pode deixar presidência da Ferrari por problemas médicos (Foto: Getty Images)
Na Ferrari, o principal nome para substituir Marchionne é Louis Carey Camilleri, que é membro do conselho da equipe e ex-presidente da Phillip Morris. Sua chegada incluiria John Elkann, vinculado ao cargo de presidente do time. A Fiat e a Ferrari não deram declarações sobre o caso.
 
O presidente assumiu o cargo em 2014, no lugar de Luca di Montezemolo e foi responsável por uma reestruturação que colocou a equipe de volta na competição por títulos mundiais. Com grande impacto na Ferrari, Marchionne também ajudou a trazer a Alfa Romeo de volta para a F1.

Marchionne era um adepto de mudanças na equipe e estava à frente da chegada de Charles Leclerc para formar dupla com Sebastian Vettel a partir de 2019. O monegasco, segundo informações, já está acertado, mas ainda não tem um acordo assinado. Se o atual presidente sair, as chances de permanência de Kimi Räikkönen aumentam, algo que agradaria ao tetracampeão — que manifestou preferência pelo fico do finlandês. 
 
O italiano também participou ativamente das discussões para o regulamento de 2021 na F1, inclusive se posicionando, em alguns casos contra e dirigindo ameaças de retirar a Ferrari da categoria caso não julgasse que as decisões tomassem um rumo que não agradassem a escuderia italiana.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Alemanha de F1 AO VIVO, em TEMPO REAL e IN LOCO com a jornalista Evelyn Guimarães. Siga tudo aqui.