Ferrari sai na frente e já testa motor da Fórmula 1 2026 no dinamômetro

De acordo com a versão italiana do Motorsport, a Ferrari realizou o primeiro teste da unidade de potência sob as especificações da Fórmula 1 2026 antes das férias de fim de ano

O trabalho da Ferrari para recuperar o déficit atual na Fórmula 1 está a pleno vapor. Após ser a primeira a confirmar a data de estreia do carro de 2024, a equipe italiana também saiu na frente das rivais e já realizou o primeiro teste com o motor de 2026 no dinamômetro.

A informação é da versão italiana do site Motorsport desta terça-feira (26). De acordo com a publicação, o experimento foi feito já há algum tempo, antes do chamado ‘shutdown’, período obrigatório imposto pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) que paralisa por alguns dias os trabalhos dos times nas fábricas. A revelação, no entanto, vazou durante o feriado natalino.

Em 2026, a F1 passará por uma importante mudança no regulamento de motores. As unidades de potência terão a parte elétrica ampliada em 50%, com redução considerável da parte térmica. Além disso, o MGU-H, que tem como função gerar energia elétrica a partir do calor da turbina, deixará de ser usado, entre outros detalhes, como o deslocamento do MGU-K (que recupera energia cinética) para dentro do chassi por questões de segurança.

Os motores também serão produzidos para funcionarem com combustível sustentável. Na Ferrari, quem encabeça o projeto é Wolf Zimmermann, em conjunto com Enrico Gualtieri, chefe de motores da escuderia do cavalinho rampante.

A Ferrari testou o protótipo do motor de 2026 antes das férias (Foto: AFP)

A matéria afirma ainda que as primeiras impressões foram positivas, enfatizando, porém, que ainda não se trata do modelo definitivo que estará nas pistas daqui a duas temporadas. A necessidade de desenvolver o projeto de 2026 o quanto antes é por conta das alterações significativas que as unidades sofrerão, com restrição maior nas escolhas de materiais e soluções, tudo respeitando o atual viés da sustentabilidade e redução de custos adotado pela categoria.

Apesar do temor que tal direção possa levar a F1 a ter uma unidade de potência muito mais rudimentar do que se tem atualmente, o desafio das equipes é desenvolver um motor que faça a diferença muito mais em termos de eficiência do que de potência.

Com relação aos combustíveis 100% sustentáveis, a Ferrari tem trabalhado estreitamente com a AVL, empresa de desenvolvimento de motores especialista em pesquisa e simulação. A publicação italiana afirmou ainda que a expectativa é que outras versões da unidade de 2026 sejam testadas em breve.

Fórmula 1 retorna às pistas de 21 a 23 de fevereiro de 2024, com os testes coletivos da pré-temporada, no Bahrein.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.