FIA chama chefe da Red Bull para explicar críticas a comissários da Fórmula 1 no Catar

Os comissários da Fórmula 1 chamaram Christian Horner para explicar uma suposta infração ao Código Esportivo Internacional da FIA (Federação Internacional de Automobilismo)

F1 NO CATAR: HAMILTON VENCE, VERSTAPPEN 2°, ALONSO NO PÓDIO | Briefing

As investigações estão mesmo em alta na Fórmula 1. Após o GP do Catar deste domingo (21), Christian Horner, chefe da Red Bull, foi convocado pelos comissários para dar explicações sobre uma suposta infração do Código Esportivo Internacional da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).

A investigação se refere a dois artigos do código: o 12.2.1 (f), eu proíbe “quaisquer palavras, atos ou escritos que causem dano moral ou perdas a FIA, seus órgãos, membros ou executivos e, de forma mais geral, aos interesses do esporte automotivo e aos valores defendidos pela FIA”; e o 12.2.1 (k), que previne “qualquer conduta imprópria em relação aos titulares de licenças, funcionários, oficiais ou membros das equipes da FIA, membros da equipe organizadora ou do promotor, membros do staff dos competidores, oficiais do controle de doping ou qualquer outra pessoa envolvida no controle de doping”.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Christian Horner terá de se explicar à FIA (Foto: Andrej Isakovic/AFP)

A entidade, porém, não detalhou qual a infração supostamente cometida por Horner. No entanto, o dirigente criticou duramente a punição de cinco posições imposta a Max Verstappen no grid de Losail por ter desrespeitado bandeiras amarelas durante a classificação da F1.

“Acho que o diretor de prova deveria ter controle do circuito. No fim das contas, ele é o árbitro. Do contrário, qualquer um, um fiscal decide hastear uma bandeira amarela, como isso funciona?”, questionou.

“É preciso ter alguns adultos tomando decisões adultas. Acho que é desonesto um fiscal esticar uma bandeira e não ter sido instruído pela FIA. Eles precisam ter controle dos fiscais deles. É simples assim, pois é um golpe crucial para nós neste campeonato”, reclamou.

Falando ao serviço de streaming espanhol DAZN, Helmut Marko, consultor do time dos energéticos, também atacou os fiscais.

“É ridículo. A FIA não consegue organizar um sistema de fiscais decente e transfere a incompetência deles ao piloto. Inacreditável”, falou Marko.

Apesar do revés, Verstappen fechou o GP do Catar na segunda colocação, atrás apenas de Lewis Hamilton, que venceu em Losail.

Depois de comparecer ao encontro com a FIA, Horner se explicou e pediu desculpas aos fiscais que se sentiram ofendidos.

“A punição no grid é frustrante, mas vimos emoções… Acho que temos lidado muito bem com as nossas emoções. Não tenho apontado ou xingado para as câmeras. Então não foi esse tipo de coisa”, falou Christian. “Eu sou bem direto. Se você está sendo um babaca, vou dizer que você está sedo um babaca. Eu falei com a FIA e me desculpei se alguém se ofendeu. A minha frustração não era com um fiscal individualmente, mas com a situação”, seguiu.

“Um carro tinha passado por lá e não havia bandeira amarela. Um carro passa sem bandeira amarela, outro com uma amarela só, outro com uma amarela só e aí duas amarelas. É a inconsistência disso. Podemos aprender com isso”, defendeu. “A todos os fiscais: nós precisamos de vocês e achamos que vocês fazem um trabalho incrível. Peço desculpas de alguém se ofendeu”, completou.

A entidade máxima optou por apenas dar uma advertência a Horner e não aplicou punições maiores.

Fórmula 1 volta a acelerar em duas semanas, entre 3 e 5 de dezembro, com outra corrida nova no calendário: o GP da Arábia Saudita, nas ruas de Jedá.

GRANDES VIRADAS DA F1 + OS GUARDIÕES DA BANDEIRA DE HAMILTON | TT GP #39
GRANDE PRÊMIO lança especial que celebra carreira de Valentino Rossi. ACESSE
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar