FIA confirma que circuito de Austin terá zona única de ultrapassagem na reta oposta para GP dos EUA

A pista de Austin terá apenas uma zona de ultrapassagem para GP dos EUA. O ponto de ativação do DRS será feito na reta oposta, a mais longa do circuito texano

O novo circuito de Austin, que recebe neste final de semana o GP dos EUA de F1, terá apenas uma zona de ultrapassagem. A FIA confirmou nesta terça-feira (13) a decisão. O Mundial terá novamente uma etapa em solo norte-americano após cinco anos. A última passagem da categoria máxima do automobilismo pelo país foi em 2007, na pista de Indianápolis, corrida vencida por Lewis Hamilton

Circuito das Américas foi construído para receber o GP dos EUA a partir deste ano (Foto: Divulgação)

O traçado texano é composto por 20 curvas, 11 para esquerda e nove para a direita, cobrindo uma distância total de 5.516 m. É um dos cinco do atual calendário que utiliza o sentido anti-horário, assim como Cingapura, Coreia do Sul, Abu Dhabi e Interlagos

E a área para o uso da asa móvel está localizada ao longo da reta oposta, a mais longa da pista. O ponto de detecção será antes da curva 11, sendo que a ativação do DRS será permitida 650 m antes do hairpin da curva 12. O primeiro treino livre da F1 em Austin está marcado para as 13h desta sexta-feira, no horário de Brasília.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube