F1

FIA divulga calendário provisório da F1 em 2016 com recorde de 21 etapas, corrida no Azerbaijão e começo em abril

Na esteira das confirmações esperadas do Conselho Mundial para esta sexta-feira, surgiu o primeiro esboço do calendário 2016 da F1. E para os fãs que curtem um número maior de corridas, trata-se de um banquete: serão mesmo 21 etapas — as 19 deste ano mais o retorno da Alemanha e a estreia de Baku, capital do Azerbaijão

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Após reunião do Conselho Mundial da FIA, realizado nesta semana no México, a entidade que rege o automobilismo mundial divulgou nesta sexta-feira (10) o esboço do calendário da próxima temporada do Mundial de F1. Será, se tudo seguir conforme o previsto, um verdadeiro banquete ao fã do esporte a motor. O calendário de 2016 começará em 3 de abril, com a disputa do GP da Austrália, em Melbourne, e terminará em 27 de novembro, com o GP de Abu Dhabi.

Ao todo, serão 21 corridas, incluindo o retorno do GP da Alemanha e o novo GP da Europa, que será disputado nas ruas de Baku, capital do Azerbaijão. O GP do Brasil, assim como neste ano, seguirá como a penúltima prova da temporada, em 13 de novembro, em Interlagos.
O GP da Rússia vai abrir a fase europeia da temporada 2016 da F1 em 1º de maio (Foto: AP)
Outra grande novidade é que o GP da Rússia desta vez vai abrir a fase europeia do Mundial. A corrida no Parque Olímpico de Sochi está previamente marcada para 1º de maio, uma semana depois do GP do Bahrein. Por sua vez, o GP da Malásia, que acontecia no início da temporada, voltará à fase final do campeonato e será a 16ª etapa, em 25 de setembro.

Quanto à primeira fase do Mundial, serão três corridas entre Oceania e Ásia. Além do GP da Austrália, que abre a temporada, o GP da China, que acontece no dia 10 de abril — uma semana após a prova em Melbourne — e o GP do Bahrein encerram o primeiro giro da F1 pelo outro lado do mundo.

No retorno da categoria ao continente europeu, serão três corridas — Rússia, Espanha e Mônaco, esta no último domingo de maio — antes de um breve giro pela América do Norte, no tradicional GP do Canadá, marcado para 12 de junho. Duas semanas depois, a F1 regressa à Europa para a disputa de seis corridas em sequência: Inglaterra, Áustria, Baku, Alemanha, Hungria, antes da pausa de quatro semanas até o GP da Bélgica. O GP da Itália, que estava ameaçado, foi mantido no calendário, acontecendo em 4 de setembro.

Aí a F1 faz um novo giro pela Ásia, com mais três etapas: o GP de Cingapura, em 18 de setembro, com o GP da Malásia acontecendo uma semana depois. Em 9 de outubro, é a vez do GP do Japão. Por sua vez, o GP da Índia, contrariando um desejo de Bernie Ecclestone, não voltará ao calendário em 2016.

E já na fase final da temporada, Austin recebe mais uma vez o GP dos Estados Unidos, em 23 de outubro, enquanto o autódromo Hermanos Rodríguez abriga o GP do México na semana seguinte. O GP do Brasil acontece em 13 de novembro, com o GP de Abu Dhabi fechando o calendário duas semanas depois.

F1, temporada 2016, calendário provisório:
 
3/4 Austrália
10/4 China
24/4 Bahrein
1/5 Rússia
15/5 Espanha
29/5 Mônaco
12/6 Canadá
26/6 Inglaterra
3/7 Áustria
17/7 Europa
31/7 Alemanha
7/8 Hungria
28/8 Bélgica
4/9 Itália
18/9 Cingapura
25/9 Malásia
9/10 Japão
23/10 EUA
30/10 México
13/11 Brasil
27/11 Abu Dhabi