F1

FIA nega paralelo entre incidentes no Canadá e na Áustria: “São maçãs e laranjas”

A FIA foi inconsistente ao não punir Max Verstappen na Áustria, semanas após punir Sebastian Vettel no Canadá? O diretor de corridas Michael Masi não vê assim, argumentando que não há ponto em comum entre os dois lances

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
A decisão da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) de não punir Max Verstappen pelo toque com Charles Leclerc na última volta do GP da Áustria trouxe um novo tipo de discussão à Fórmula 1. Três semanas antes, a categoria puniu Sebastian Vettel por voltar à pista de forma considerada perigosa contra Lewis Hamilton no GP do Canadá. Mas a categoria não se sente inconsistente: Michael Masi, diretor de corridas, diz que os dois lances são muito diferentes.
 
“Isso é comparar maçãs com laranjas”, disse Masi. “Todo e qualquer incidente precisa ser considerado por si só. São curvas, perfis e circunstâncias diferentes. Tentar comparar vira uma comparação de incidentes muito diferentes”, seguiu.
 
Para muitos, a postura da FIA no Canadá foi dura demais. Vettel e Ferrari não aceitaram a adição de 5s ao tempo de prova do alemão, o que deixou a vitória com Lewis Hamilton. Além da infame troca de placas promovida pelo alemão, a escuderia apelou – e perdeu.
Verstappen ganha a posição de Leclerc no GP da Áustria (Foto: Reprodução)
Nesse fim de semana, foi a vez de a Ferrari tentar convencer a FIA de que uma punição era necessária. Não conseguiu, com a entidade se posicionando ao lado da atitude de Verstappen em um lance normal. 
 
“Do ponto de vista dos comissários, foi um incidente de corrida. Foi simplesmente uma boa e dura disputa nessa perspectiva. Ele [Verstappen] foi para a curva e freou tarde. O Charles [Leclerc] obviamente o viu e ficou por fora. Max, freando muito mais tarde, atingiu o ponto de tangência da curva mais tarde. O tempo inteiro ele estava virando o volante e tentando reacelerar mais cedo”, encerrou Mais.
 
Sem punição, Verstappen garantiu a primeira vitória em 2019. Leclerc, por sua vez, teve motivos para se frustrar ao ver o triunfo escapar novamente.



Paddockast #23
Lágimas em Le Mans




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.