FIA reúne equipes e F1 para debater Abu Dhabi. Mas só fica na promessa de mudanças

A reunião entre FIA e equipes da Fórmula 1 para debater, entre outros temas, o futuro de Michael Masi e tentar explicar o fim do GP de Abu Dhabi, não terminou em uma conclusão. A decisão final fica para os próximos dias, de acordo com a entidade

A tão esperada reunião entre FIA e equipes para discutir as decisões da direção de prova e dos comissários na final da temporada 2021, em Abu Dhabi, finalmente aconteceu. Na tarde desta segunda-feira (14), os mandatários da Fórmula 1 se encontraram em Londres, mas, diferentemente do que havia sido previsto, não houve uma decisão sobre o tema. A FIA, no entanto, promete uma resposta e uma definição nos próximos dias.

“O presidente da FIA liderou as discussões detalhadas sobre o GP de Abu Dhabi de Fórmula 1 da FIA de 2021. O feedback da Comissão [de pilotos e equipes] sobre os assuntos levantados será incorporado à análise do Presidente, e ele apresentará publicamente as notícias sobre mudanças estruturais e plano de ação nos próximos dias”, escreveu a FIA em comunicado.

As decisões tomadas pela direção de prova da F1 no GP de Abu Dhabi seguem no olho do furacão devido à investigação que a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) promoveu nas últimas semanas. A entidade que rege o esporte deseja entender tudo que houve nas voltas finais daquela corrida e que acabaram por definir o título em favor de Max Verstappen.

Toto Wolff esteve na reunião (Foto: Reprodução/Sky Sports)

A revisão sobre o episódio contou com informações de equipes e pilotos, além daqueles que tiveram papeis centrais, como o diretor de prova, Michael Masi, os comissários e os principais nomes das duas equipes envolvidas na disputa do Mundial.

Logo depois da etapa decisiva e diante da intensa repercussão, a FIA admitiu que as consequências das voltas finais da temporada e a reação dos fãs estavam “manchando a imagem do campeonato”, embora também sugerisse que os eventos e os argumentos subsequentes também “geraram mal-entendidos e reações significativas da Fórmula 1 equipes, pilotos e fãs”.

Inicialmente, a reunião da Comissão de F1 e a FIA, agendada para essa segunda-feira (14), tinha como objetivo apresentar uma mudança na estrutura de administração das provas, após o polêmico final em Abu Dhabi. Entende-se que há uma compreensão no paddock de que Masi ficou sujeito a uma enorme pressão de Mercedes e Red Bull ao longo da temporada, mas especialmente na parte final. Além disso, o diretor acabou isolado e exposto. A iniciativa agora era de se criar um sistema de apoio ao diretor.

Michael Masi ainda é o diretor de prova da F1, mas a FIA promete uma decisão em breve (Foto: Reprodução/F1)

Isso porque Masi virou foco de todos os questionamentos sobre o aconteceu em Abu Dhabi e em outras etapas do campeonato 2021. Portanto, a continuidade no cargo agora está em dúvida.

Diretor-executivo de monoposto da FIA, Peter Bayer é quem conduz as investigações. Semanas atrás, o dirigente admitiu que existe a chance de Masi ser substuído.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

LEIA MAIS: Quais os lançamentos de carros mais esperados na Fórmula 1 2022?

Entenda o caso

Depois de ficar mais de 20 pontos atrás de Max Verstappen na reta final da disputa, Hamilton desembarcou em Yas Marina empatado em número de pontos com o holandês – que ainda tinha a vantagem nas mãos por ter vencido mais vezes. Ainda assim, o inglês dominou a etapa derradeira e caminhava para a vitória, que lhe daria a oitava taça do mundo. Mas um acidente nas voltas finais mudou todo o cenário.

Christian Horner marcou presença no encontro da FIA (Foto: Reprodução/Sky Sports)

Nicholas Latifi bateu e provocou a entrada do safety-car. Durante a paralisação, Verstappen, que vinha na segunda colocação, aproveitou para trocar os pneus. A Mercedes, por outro lado, optou por deixar Lewis na pista. Acontece que a direção de prova mudou de ideia quanto aos procedimentos do SC. Em uma primeira mensagem às equipes, determinou que não haveria ultrapassagem para ordenar o pelotão. Mais tarde, decidiu que apenas os retardatários entre o líder Hamilton e Verstappen teriam a autorização para passar, o que não consta no regulamento.

Com isso, o heptacampeão se viu vulnerável à frente de Max, restando apenas uma volta para o fim da corrida. No reinício, o piloto da Red Bull superou o britânico da Mercedes e garantiu o primeiro título da carreira.

As ações do diretor de prova, Michael Masi, foram questionadas pela Mercedes logo após a bandeirada. A equipe entrou com recurso ainda em Abu Dhabi, mas teve o pedido recusado. Mais tarde, manifestou a intenção de apelar à Corte, mas acabou desistindo, depois que a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) se comprometeu em investigar os procedimentos adotados na parte final da corrida em Yas Marina.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar