Fim de semana do GP dos Estados Unidos começa com céu azul e muito frio na cidade de Austin

Acabou a espera. Finalmente os carros vão à pista para estrear o Circuito das Américas, em Austin, no Texas. A sexta-feira (16) no palco do GP dos Estados Unidos será marcada por baixas temperaturas

Pouco mais de cinco anos depois, finalmente a F1 está de volta aos Estados Unidos, terra dos campeões mundiais Phil Hill e Mario Andretti. O Circuito das Américas, cravado na simpática cidade de Austin, no Texas, é o 11º palco da principal categoria do automobilismo mundial na terra de Barack Obama. A partir desta sexta-feira (16), os pilotos iniciam a jornada da 19ª e penúltima etapa da temporada 2012.

O clima promete ser um fator decisivo em todo o fim de semana. Estrategicamente, o GP dos Estados Unidos foi marcado para o fim do ano e não em junho, como seria a lógica, até para ficar próximo ao GP do Canadá. Ocorre que a região do Texas, no meio do ano, é uma das mais quentes dos Estados Unidos, com temperaturas excedendo muitas vezes os 40ºC. Dessa forma, a F1 decidiu voltar à América do Norte no fim do ano, quando o clima é mais ameno.

Circuito das Américas, no Texas, recebe a F1 a partir desta sexta-feira (Foto: COTA)

Nesta sexta-feira, as atividades começam com o céu azul, mas também com muito frio. No momento, os termômetros apontam 8ºC de temperatura ambiente em Austin. De acordo com o site especializado ‘Weather Channel’, a máxima chegará a 20ºC. A possibilidade de chuva é mínima, quase nula: entre 10 e 15%.

O Grande Prêmio acompanha em tempo real todas as atividades ao longo do fim de semana do GP dos Estados Unidos. O primeiro treino livre desta sexta terá início às 9h de Austin, 13h pelo horário de Brasília. A segunda sessão acontecerá quatro horas depois no Texas.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube