Focada em deixar falhas do motor para trás, Renault prioriza confiabilidade ao invés de potência no início da temporada

Com o início da temporada se aproximando cada vez mais, as equipes já começaram a traçar suas estratégias para o ano. Cyril Abiteboul, diretor da Renault, afirmou que ao menos na primeira prova do calendário a equipe vai priorizar na confiabilidade dos motores, e não na potência

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O início da temporada já está virando a esquina, e as equipes já começaram o seu planejamento para o campeonato. A Renault, por exemplo, declarou que em um primeiro momento do ano vai priorizar a confiabilidade de seus motores, não a potência.
 
O ano de 2017 não foi o mais positivo para a equipe francesa. Com diversos abandonos por conta dos propulsores, a marca de Viry-Châtillon enfrentou duras críticas das parceiras Red Bull e Toro Rosso, levando inclusive o consultor Alain Prost a pedir desculpas depois de uma quebra ocorrida com Max Verstappen no GP da Bélgica. A Renault então passou o inverno focada em melhorar sua confiabilidade para evitar problemas parecidos.
 
Ainda, com a diminuição do limite do uso de motores de quatro apenas três por piloto ao longo da temporada, a estratégia adotada pela marca foi de ter uma postura mais conservadora ao menos nas primeiras provas do calendário.
 
“Nós decidimos voluntariamente assumir compromissos com o motor número um, em vista que temos certeza de que temos a plataforma correta. Caso você vá para a primeira corrida e começa a ter problemas, então não é apenas uma corrida, compromete toda a sua temporada. Você não pode aceitar isso”, disse Cyril Abiteboul, diretor da equipe, em entrevista veiculada pelo site norte-americano 'Motorsport.com'.
O foco da Renault é um motor confiável em Melbourne (Foto: Renault Sport F1)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“É sobre ter uma boa base, ter a plataforma certa e construir um plano para o ano, tentando em particular sincronizar o desenvolvimento na fábrica com a introdução de novos propulsores, pois eles são bastante limitados. Quanto menos motores você tem, mais exigente você deve ser na hora de implementar desempenho. Então nosso foco é bastante na confiabilidade”, seguiu.
 
Abiteboul seguiu seu discurso dizendo ter uma ideia bastante clara do que quer para seu motor na primeira prova do ano, na Austrália. “Nosso objetivo é mais ou menos começar em Melbourne com o mesmo nível de desempenho que terminamos em Abu Dhabi, o que é na verdade uma base de performance bastante decente”, explicou.
 
“E queremos também mais confiabilidade, e fazer isso de uma maneira em que possamos extrair a potência de uma maneira consistente e sustentável, e não ter que descartar o motor por conta de problemas ou preocupações com temperatura. É claro que o segundo propulsor será um passo, e o terceiro será outro”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube