Focado na Marussia até 2013, Glock revela que recusou proposta da Renault no final de 2009

Piloto da Toyota antes da firmar contrato com a Marussia, Timo Glock revelou que recusou uma proposta da Renault no final de 2009 por já ter acertado com a então Virgin e não se lamenta de ter tomado a decisão

Com contrato firmado com a Marussia até o próximo ano, Timo Glock não será um dos pilotos que vai procurar emprego no final da temporada, mas não descarta atender ligações de chefes de equipes interessados em seu trabalho para 2013. "Não importa quem seja, sempre, educadamente, atenderei ao telefone”, disse o alemão ao site ‘motorsport-total’.

O piloto de 30 anos revelou que recusou uma proposta da Renault no final de 2009, quando estava na Toyota e a equipe anunciou que iria deixar a F1 no final daquele ano. Apesar de recusar ser o companheiro de Robert Kubica naquele ano, Glock não demonstra muito arrependimento da decisão e afirma que assinaria com a então Virgin de qualquer maneira.

Glock diz que não se arrepende de ter recusado da Virgin em 2009 (Foto: Marussia/Facebook)

"Na mesma situação, eu faria o mesmo agora", disse Glock, que está em sua quinta temporada como piloto titular de uma equipe da F1. "Se eu tomo uma decisão, eu sei o motivo de ter tomado a decisão, então não há nenhum ponto para me lamentar ou ficar me perguntando”, afirmou.

"Só eu sei a situação era como foi e não tinha ninguém mais para tomar a decisão. Então, o que eu decidi fazer foi absolutamente correto", finalizou.

Sem pontuar desde a segunda colocação no GP de Cingapura de 2009, Glock deve manter o jejum até o final desta temporada. Atualmente, ele é o 21º colocado no campeonato.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube