Fora da F1 desde 1995, Adelaide solicita estudo sobre possibilidade de voltar a receber GP da Austrália

O Conselho Municipal de Adelaide aprovou o estudo das possibilidades de recuperar o GP da Austrália. Agora a Secretaria de Turismo vai avaliar a possibilidade

 
O Conselho Municipal da cidade de Adelaide vai dar o primeiro passo na árdua tarefa de voltar a realizar o GP da Austrália, disputado em Melbourne desde 1996. Depois de votação realizada nesta terça-feira (14), o órgão decidiu solicitar um estudo que vai avaliar a viabilidade do retorno da F1 após 21 anos.
 
“O Grande Prêmio traz uma nostalgia e acredito que todas essas pessoas [do Conselho Municipal] são velhas o suficiente para lembrar aquela época”, disse Alex Antic, conselheiro da cidade. “Então fico feliz por saber que o Conselho vai conversar com o governo estadual e pelo menos mostrar que queremos estudar essa possibilidade”, seguiu.
 
O estudo vai ser responsabilidade da Secretaria de Turismo do estado do Sul da Austrália – região onde fica Adelaide.
A última vez que Adelaide recebeu um GP de F1 foi em 1995 (Foto: Williams F1/LAT Photographic)
Adelaide foi a primeira cidade a receber o GP da Austrália no calendário da F1. Entre 1985 e 1995, a cidade se acostumou a receber a última corrida da temporada – que decidiu o título em duas oportunidades, em 1986 e 1994. O sucesso foi tanto que Melbourne passou a conversar com a F1 para ser a nova sede da prova – investida que deu certo.
 
Desde então, a estrutura construída em Adelaide passou a ser utilizada apenas pela V8 Supercars, campeonato australiano de turismo. Como o palco não foi abandonado por completo, a cidade teria mais facilidade para se enquadrar nos padrões exigidos pela F1.
 
PADDOCK GP #69 DEBATE ABERTURA DA INDY, TESTES DA F1 E MOTOGP E LEMBRA JOHN SURTEES

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube