F1

Fundador de uma das mais tradicionais equipes da F1, ex-piloto Guy Ligier morre aos 85 anos

Fundador de uma das equipes mais famosas da F1 nas décadas de 1980 e 1990, a Ligier, Guy Ligier morreu aos 85 anos. As causas da morte não foram divulgadas pela família
Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
 ligier_1996_31
Guy Ligier, fundador de uma das equipes mais tradicionais da história da F1, morreu neste domingo (23). O ex-chefe de equipe tinha 85 anos e as causas da morte não foram divulgadas.

A data de morte de Ligier - 23 de agosto - coincide com a de um de seus ex-pilotos. Didier Pironi, piloto de Guy na temporada de 1980, também morreu na data, mas em 1987.
 
Nascido em 1930, em Vichy, o francês Guy Ligier foi o fundador da equipe que carregava seu sobrenome. Depois de disputar 13 GPs como piloto – sem resultados relevantes –, o francês partiu para a vida de chefe de equipe. Era o começo de uma das escuderias mais tradicionais da F1.
Guy Ligier morreu aos 85 anos (Foto: Reprodução)
Guy comprou, na primeira metade da década de 1970, o espólio da Matra, que havia abandonado a F1 em 1972. A primeira temporada completa da nova escuderia, a Ligier, foi disputada em 1976. Todavia, a primeira vitória só viria em 1977, com Jacques Laffite, no GP da Suécia.
 
O triunfo de Laffite marcou aquele que seria o auge da Ligier. Entre 1977 e 1981, a equipe conseguiria oito dos nove triunfos de sua história. Sempre com Jacques como primeiro piloto, a esquadra conseguiu um terceiro lugar no Campeonato de Construtores de 1979, seguido de um segundo posto em 1980.
Os carros da Ligier marcaram época na F1 (Foto: Reprodução)
Todavia, a marca da década de 1980 foi a decadência da equipe. Salvos pódios esporádicos em 1985 e 1986, a Ligier passou a maior parte do tempo sofrendo com bólidos pouco confiáveis e pilotos duvidosos.
 
O último suspiro de grandeza só veio na temporada final da equipe, a de 1996. Apesar de um carro puramente mediano, Olivier Panis conseguiu se aproveitar de um caótico GP de Mônaco para conseguir um inesperado triunfo – que viria a ser o último.
 
Ao final do ano, Guy Ligier negociou com Alain Prost a venda da equipe, que em 1997 passaria a carregar outro sobrenome: o do tetracampeão do mundo.
 
Depois de vender a escuderia, Guy se afastou da F1. O veterano não era mais visto com a mesma frequência nos autódromos.