F1

Gasly fala em “temporada importante” em 2019 e avalia chegada à Red Bull como “melhor situação para mim”

Pierre Gasly não vê a hora de começar o seu trabalho em definitivo com a Red Bull. Promovido em 2019, o francês ressaltou como é uma grande oportunidade para sua carreira correr em uma equipe de ponta na F1

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Pierre Gasly não escondeu a empolgação de começar seu trabalho com a Red Bull. Estreando na equipe tetracampeã na temporada 2019, o francês ressaltou como essa é uma grande oportunidade de sua carreira.

O piloto fez sua estreia na F1 em 2017, correndo cinco das últimas seis corridas com a Toro Rosso. No ano seguinte, assumiu em definitivo a posição de titular do time de Faenza. Com desempenho constante e boas corridas, como o quarto lugar no GP do Bahrein, Pierre chamou a atenção dos chefes, que o promoveram para assumir o lugar de Daniel Ricciardo — que foi para a Renault — e ser o novo companheiro de equipe de Max Verstappen.

Analisando toda a situação, Gasly celebrou o ótimo momento da carreira, tanto por dividir os boxes com o holandês, como a oportunidade de crescer dentro de uma equipe com capacidade para vencer corridas. “É uma temporada muito importante para mim, estou em uma equipe de ponta”, falou.

“Há três equipes que se destacam do restante do pelotão: Ferrari, Mercedes e Red Bull. Tenho 23 anos, em minha segunda temporada me vejo em uma dessas equipes. Para mim, é um sonho desde que comecei a correr no kart. Vou ser companheiro de um dos melhores e mais talentosos pilotos do momento”, seguiu.
Pierre Gasly (Foto: Twitter/Pierre Gasly)
“Para continuar a melhorar, essa é a melhor situação que pode acontecer para mim. Estou muito animado em estar na Red Bull, quatro vezes campeã mundial com Sebastian Vettel. A cada ano eles têm estado na frente, então mal posso esperar para começar”, completou.

Pierre ainda ressaltou como tem se dedicado de forma mais intensa em sua preparação para o início do campeonato. “Acredito que tudo se torna um pouco mais profissional. Com meu treinador, nós tentamos identificar minhas forças e minhas fraquezas, e os pontos para trabalhar para melhorar minha preparação”, explicou.

“Eu quero estar 100% fisicamente no início da temporada, e também mentalmente. Não quero dar nenhuma brecha para conseguir o melhor resultado possível. Após os testes em Abu Dhabi, tentei tirar uns dias de descanso com minha família e amigos, pois tem sido cada vez mais difícil voltar para a Normandia”, disse, fazendo menção à região onde mora no seu país-natal.

“No processo, ataquei minha preparação física. Fui para os Estados Unidos por duas semanas, para o Centro de Treinamento da Red Bull, com meu treinador para me preparar bem estando longe de tudo. Então, no meio de janeiro, comecei os dias de simulador”, encerrou.