Gasly vê problemas na Red Bull como ponto fora da curva e celebra fase na AlphaTauri

Pierre Gasly apaga aos poucos a impressão ruim deixada nos seis meses de Red Bull. O francês destaca que aprendeu a usar a experiência para voar mais alto na AlphaTauri em 2020

Pierre Gasly foi para a Red Bull em 2019 como um diamante a ser lapidado, mas não duro nem 6 meses antes de ser mandado de volta para a AlphaTauri após resultados decepcionantes. O francês já dá a volta por cima na escuderia secundária, onde tem um 2020 empolgante, e se vê em condições de apontar o ano anterior como “diferente”, que pouco teve a ver com uma carreira até aqui de sucesso.

A reação de Gasly após o rebaixamento começou ainda em 2019, quando conseguiu um incrível pódio no GP do Brasil. De lá para cá, pontos frequentes e resultados simplesmente mais brilhantes do que os do companheiro Daniil Kvyat consolidaram a boa impressão.

“Nós tivemos resultados muito bons na segunda metade do ano passado”, disse Gasly, entrevistado pelo The Race. “Aproveitamos oportunidades e diria que esse ano estamos ainda melhores. Com mais experiência, eu sei o que preciso e o que quero do carro. Eu sinto que posso competir no meu melhor nível e tudo ao redor me dá essa oportunidade. Meu período na Red Bull foi diferente, comparando com o nível que apresentei na Super Formula, na GP2 e até antes disso. É uma evolução minha enquanto piloto, mantendo a mesma velocidade, mas executando as coisas um pouco melhor agora com mais experiência. Trabalhando com a mesma equipe, as mesmas pessoas, mas com mais tempo para que a gente se entenda melhor”, ponderou.

Pierre Gasly encontrou a luz no fim do túnel ao voltar à AlphaTauri (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

O fracasso de Gasly na Red Bull, onde nunca foi além do quarto lugar, passou a ser atribuído a uma possível dificuldade de adaptação ao carro. Enquanto Max Verstappen vencia, o francês estaria sofrendo com as novas características. Só que Pierre não concorda: o próprio diz que os modelos da equipe principal e da AlphaTauri são parecidos.

“Eu diria que as sensações são bem parecidas. Nós recebemos algumas peças da Red Bull e eu diria que é um carro parecido de pilotar. Provavelmente não temos tanto downforce, já que precisamos nos virar com a aerodinâmica e a Red Bull é muito forte nisso. É uma questão de extrair e entender o que é necessário a respeito do carro, maximizando o potencial. Nós estamos muito bem, mas sinto que podemos melhorar um pouco, como todo mundo. É um carro parecido de pilotar, mas com menos downforce”, encerrou.

Gasly é 13° no Mundial de Pilotos, somando 14 dos 16 pontos da AlphaTauri na temporada. A nova chance de se destacar é já neste fim de semana, com a Fórmula 1 partindo para Spa-Francorchamps, casa do GP da Bélgica.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar