F1

Gasly volta a decepcionar e está perdido, mas fracasso dele é também de Marko

O GP da Alemanha foi um desastre para Pierre Gasly, que teve uma forte candidata a pior largada do ano e depois bateu sozinho. Mas vai seguir lá assim mesmo, porque o 'Encantador de Pilotos' Helmut Marko sabe que o fracasso não é só do piloto

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
A situação de Pierre Gasly não para de complicar. Após conquistar na Alemanha a sua melhor posição de largada na temporada, o piloto francês fez uma largada assustadoramente ruim e foi superado em desempenho e resultado não apenas por Max Verstappen, mas pela dupla da Toro Rosso. O assunto tem recorrente, mas se faz presente mais uma vez: até quando?
 
Gasly largou muito mal, não conseguiu se recuperar durante a prova, quando a máquina da Red Bull deveria dominar quase todas as outras. Verstappen fez valer o carro, superou a Ferrari de Charles Leclerc e partiu para cima das Mercedes. Venceu a corrida, ainda que contando com o erro de Lewis Hamilton. Mas Gasly... No fim das contas, errou feio e acabou no muro e sem pontos. 
 
As duas Toro Rosso, por sua vez, viveram quase que um conto de fadas na chuva de Hockenheim. Alexander Albon fazia a sua primeira corrida com pista molhada na F1, o que, ao menos em tese, seria um enorme complicador. Albon, ao contrário, fez uma corrida impecável, não errou em momento algum e chegou a flertar com o pódio. Acabou sendo o sexto colocado.
 
Ainda melhor foi Daniil Kvyat. Durante a maior parte da prova, o russo rendeu bem, mas não tanto quanto Albon. Após a batida de Valtteri Bottas, entretanto, que obrigou o safety-car a entrar na pista, pensou muito bem a estratégia. Parou logo nos boxes, colocou pneus de pista seca e subiu para o segundo lugar. 
Daniil Kvyat (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Kvyat não teve como resistir a Verstappen e Sebastian Vettel, é bem verdade, mas ultrapassou Lance Stroll e garantiu o segundo pódio da história da Toro Rosso: primeiro desde 2008, quando Vettel venceu em Monza. 
 
Todos os outros pilotos do universo Red Bull e que utilizam de motor Honda viveram um dia em que tiraram 100% do que tinham em mãos. Atuação impressionante dos três, enquanto Gasly voltou a naufragar.
 
Todo mundo sabe que o consultor da Red Bull e chefe do programa de pilotos, Helmut Marko, não é um grande fã de Pierre. Não é segredo para ninguém. Mesmo assim, ele garantiu após a Alemanha que as duas equipes vão até o fim do ano com as atuais formações. “Temos as equipes que temos e vamos terminar a temporada assim", falou.
Helmut Marko (Foto: Red Bull)
Certas declarações no esporte podem ser rapidamente demovidas da verdade caso os responsáveis por elas sejam brindados com um fato novo, todos sabem. Mas, ao menos no momento, não há saída para a Red Bull. 
 
Chamar Kvyat de volta seria buscar para si todos aquelas piadas de 2015 e, sobretudo, 2016. Kvyat seria um tampão de gosto duvidoso, sem garantias de resultados e para durar até o fim ano. Além de tudo isso, mostraria o desgoverno do programa de pilotos de Marko, que rebaixou Daniil, demitiu, criticou aos montes, recontratou e, neste caso, voltaria a promover. Tudo isso pouco mais de três anos.
 
É importante entender uma coisa que o próprio Marko parece esquecer quando critíca Gasly da forma tão azeda como tem feito: o fracasso da escada da Red Bull, hoje sublinhada em Gasly e Kvyat, é o fracasso de Marko, tido como o encantador de jovens pilotos. 
 
Se a Red Bull está nessa sinuca de bico, ora, é o encantador que deveria ser cobrado pelos rumos assumidos pela sua fábrica de espremer pilotos.  
Alexander Albon (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Alexander Albon é um jovem de enorme talento, mas subir Albon após alguns meses ou até um ano é repetir o que foi feito com Kvyat em 2015 e com Gasly em 2019. Claro, também com Verstappen, mas o holandês sempre foi claramente um especial. Não dá para comparar bananas com peras. 
 
E Albon nem sequer foi tão cobra criada da Red Bull. Sua chamada para a F1 foi às pressas por faltar gente e porque outro descartado, Brendon Hartley, não deu certo.
 
Marko pode resmungar o quanto quiser, mas sabe que não pode permitir que Gasly seja dispensado assim. O fracasso do francês é o fracasso dele. 


Paddockast #26
Acidentes que alteraram carreiras


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.