GP do Brasil bate marca de 11 anos e tem pódio mais jovem da história

A corrida em Interlagos no último domingo (17) viu duas novidades em pódios na F1: Carlos Sainz e Pierre Gasly. E eles, junto a Max Verstappen, produziram o pódio mais jovem da história da F1

O que os GPs do Brasil de 2019 e Itália de 2008 tem em comum – além da presença surpreendente da Toro Rosso no pódio? É que a corrida do último domingo (17) em Interlagos se juntou (e bateu) a prova de 11 anos atrás como as com pódios mais jovens da história da Fórmula 1.

A prova em Interlagos passou a ser a recordista de menor média de idade da categoria disputada desde 1950: com Max Verstappen (22), Pierre Gasly (23 ) e Carlos Sainz (25) presentes, a média foi de 23 anos, oito meses e 23 dias de idade.

A marca era, desde 2008, daquele clássico GP da Itália em que um jovem Sebastian Vettel deu a até hoje única vitória a Toro Rosso.

Naquele dia, foram ao pódio Vettel (21), Heikki Kovalainen (26) e Robert Kubica (23). A média entre eles foi de 23 anos, 11 meses e 16 dias de idade.

Sebastian Vettel, Heikki Kovalainen e Robert Kubica no pódio do GP da Itália-2008 (Foto: Reprodução)
Paddockast # 42
QUEM É VOCÊ NO GP DO BRASIL?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Se Alexander Albon fosse ao pódio no lugar de Sainz, a marca também seria batida. Já se Lewis Hamilton tivesse o terceiro lugar mantido, o GP da Itália ainda seria dono da marca.

Do lado oposto, o pódio com média mais alta de idade ocorreu em 1950, na quarta corrida da história da F1, na Suíça: Nino Farina, Luigi Fagioli e Louis Rosier tinham média de 46 anos, oito meses e 20 dias de idade então.

A Fórmula 1 volta em duas semanas, com o encerramento da temporada em Abu Dhabi. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube