F1

GP do México recorda épica ultrapassagem na antiga Peraltada e batiza nova curva em homenagem a Mansell

A nova curva projetada no lugar da antiga — e velocíssima Peraltada — levará o nome de Nigel Mansell, que a eternizou com uma ultrapassagem épica e por fora para cima de Gerhard Berger no GP do México de 1990. A prova, que volta ao calendário neste ano, será disputada em 1º de novembro
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Nigel Mansell foi o último vencedor do GP do México de F1 (Foto: LAT Photographic/Williams)
O tradicional GP do México está de volta ao calendário do Mundial de F1 depois de longos 23 anos. A última prova no país de Sergio Pérez aconteceu em 1992 e teve como grande vencedor o ‘Leão’ Nigel Mansell. E o britânico, campeão do mundo naquele ano, será homenageado pelos organizadores da prova e terá seu nome batizando a última curva do Autódromo Hermanos Rodríguez, no lugar da antiga e velocíssima Peraltada, eternizada por Mansell por uma épica ultrapassagem.

A cena em questão aconteceu no GP do México de 1990. Mansell disputava com Gerhard Berger o segundo lugar da corrida. Nas últimas voltas, o austríaco, então na McLaren, ultrapassou o britânico, que naquele ano corria pela Ferrari, mas Mansell retomou a posição de forma heroica ao ultrapassar Berger na Peraltada, e por fora. O desfecho do duelo foi uma das grandes ultrapassagens da F1 moderna e que até hoje é lembrada pelos fãs do ‘Red Five’.
Nigel Mansell foi o último vencedor do GP do México de F1 (Foto: LAT Photographic/Williams)
A nova Curva Nigel Mansell substitui a antiga Peraltada devido a, principalmente, razões de segurança. Desde os tempos em que deixou a F1 e passou a receber categorias como a Champ Car e a própria Nascar México, o trecho foi remodelado, uma vez que não havia como construir uma área de escape num trecho tão veloz. Assim, o trecho, que passa ao lado de um campo de beisebol, foi modificado e ficou muito mais lento.

Mas o batizado da curva com o nome de Mansell é uma forma de recordar o antigo legado da curva Peraltada.

“Tenho lembranças muito boas das corridas no México, o povo, a energia e a pista em si eram alguns dos melhores momentos do calendário da F1 para mim”, recordou Mansell. “Quando soube que a curva teria meu nome, claro que fiquei maravilhado. Lisonjeado, orgulhoso e feliz em igual medida”, vibrou o ‘Leão’.



Mansell, obviamente, não se furtou a falar sobre a grande manobra para cima de Berger em 1990.

“A notícia imediatamente trouxe à minha mente a minha inesperada manobra de ultrapassagem sobre Gerhard Berger na antiga Peraltada. Mal posso acreditar que isso foi há 25 anos, e que já se vão 23 anos da minha última vitória na pista. Tenho visto cuidadosamente o que os organizadores estão fazendo e estou muito ansioso para ver isso”, complementou.