Grosjean brinca sobre ganho de peso permitido por novo regulamento da F1: “Posso ter exagerado”

Uma das mudanças no regulamento da F1 é que pilotos precisam pesar ao menos 80 kg, ou terão lastros colocados em seus cockpits. E Romain Grosjean, que "sempre pesou 69 kg" brincou sobre como mudou sua dieta durante as férias da categoria

Uma das mudanças de regulamento para a próxima temporada da F1 diz respeito ao peso dos pilotos: todos devem ter ao menos 80 kg, ou serão colocados lastros para que a marca seja alcançada e todos tenham o mesmo parâmetro no cálculo do peso mínimo do carro. E isso pode ter mudado a dieta de alguns dos membros do grid — ao menos dos mais leves.

É o caso de Romain Grosjean, que afirma que "sempre teve 69 kg" dentre os seus 1,80 m de altura. E que agora, com a mudança no regulamento, "relaxou" em termos de controlar o peso.

"Veja, posso ter exagerado!", brincou, sobre o peso que ganhou durante as férias da F1. "Tenho 1,80 m e 69 kg há uns seis ou sete anos, e acho que agora, com essa liberdade, posso ter ganhado uns quilos. Mas voltei à dieta. Foi divertido, porém".

Romain Grosjean (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Na parte séria da análise, o piloto da Haas comentou sobre como isso pode ser útil para a F1: "Mas é uma boa. É muito melhor em termos de saúde. Você pode ficar mais saudável e mais forte, mas não pode se tornar um 'bodybuilder', Ganhei uns músculos. Só preciso suar um pouco na primeira corrida e ficarei bem."

"Acho que o regulamento é um bom passo na direção certa e é muito melhor viver desta forma", completou.

Grosjean terá a primeira chance de "suar" no dia 18 de fevereiro, quando os testes de pré-temporada têm início em Barcelona. A Haas do francês foi a primeira equipe a apresentar novo carro, durante a última semana.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube