F1

Grosjean diz que Haas poderia ter evitado toques de Magnussen na Espanha: “Perdemos pontos importantes”

Romain Grosjean não esqueceu os toques que tomou de Kevin Magnussen no GP da Espanha. O francês lamentou que a Haas não impediu os ataques estabanados do companheiro e entende que o time poderá sentir falta dos três pontos perdidos

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Romain Grosjean fazia um ótimo GP da Espanha de F1 até um safety-car embolar o pelotão e, na relargada, ser atacado pelo companheiro Kevin Magnussen. Os dois se tocaram mais de uma vez e Grosjean, com o carro danificado, despencou para décimo com o colega em sétimo mesmo após derrotá-lo a etapa quase inteira. E Romain não esqueceu isso ainda.
 
Grosjean, que se recuperava de um início ruim de ano, citou o impacto dos pontos jogados fora na briga interna em uma disputa apertada do pelotão do meio e deixou claro que esperava a Haas mais ativa impedido os contatos.
 
"Perdemos pelo menos três pontos nos Construtores ali. E se a gente perder uma posição no fim do ano por causa disso vamos ficar nos matando por dentro, pode ter custado caro. Era uma situação evitável, tudo poderia ter sido contornado de outra forma pelo time", disse.
Romain Grosjean se irritou com Kevin Magnussen (Foto: Haas)
O francês insistiu que a Haas tem muito mais a perder que os próprios pilotos e destacou o fato de que a Haas finalmente vinha melhor que o resto do pelotão intermediário.
 
"É corrida, eu sei, mas perdemos alguns pontos ali em um final de semana em que estávamos bem e com o carro indo bem também. Depois da corrida eu não estava feliz, muito irritado com ele. Mas, era uma corrida de 21 e, como eu disse, quem mais perde é a equipe, a gente podia ter abandonado os dois ali", seguiu.
 
Apesar de se mostrar irritado com a situação, Grosjean garantiu que a relação com Magnussen ainda está boa.
 
"O ano tem sido uma montanha-russa, aí quando a gente termina com os dois nos pontos, não conseguimos nem comemorar. Acho que minha relação com Magnussen ainda está ok. Não esperava que ele fosse agressivo assim com o companheiro dele, mas foi. O dano foi feito, mas dois anos e meio não vão para o lixo por um incidente. A relação é boa. Não foi uma boa atitude, mas segue ok", completou.
 


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.