Grosjean diz que histórico de acidentes na largada o deixa mais vulnerável em disputas por posição

As várias batidas de Romain Grosjean na primeira volta das corridas em 2012 estão refletindo na forma com que os adversários o atacam na pista, segundo o próprio francês

Romain Grosjean foi mais do que cuidadoso na largada do GP da Coreia, o que lhe custou a perda de algumas posições. E é com essa mesma cautela que o francês pretende disputar o GP da Índia, neste fim de semana, em Buddh. Nesta quinta-feira (25), Grosjean admitiu que o histórico que construiu ao longo de sua primeira temporada completa na categoria máxima do automobilismo o força a tirar o pé em alguns momentos, e que seus adversários se beneficiam disso na hora de negociar ultrapassagens.

“Eles já estão levando vantagem. Sabem que estou sob grande pressão e tentam se aproveitar, o que é normal”, declarou o piloto da Lotus, que subiu ao pódio três vezes em 2012, mas que abandonou quatro corridas devido a problemas que ocorreram ainda na primeira volta. “Mas isso é o de menos. Se eles me ultrapassarem no começo, ainda posso recuperar a posição depois”, minimizou, mostrando ter aprendido a lição.

Grosjean quer deixar para trás o apelido de "maníaco da primeira volta" (Foto: Lotus/LAT)

Depois de ser suspenso por uma corrida após a múltipla colisão que provocou na largada do GP da Bélgica, Grosjean passou ileso pela primeira curva em Cingapura, mas voltou a se atrapalhar no GP do Japão. Em Suzuka, ele começou a corrida em quarto lugar, com chances de conquistar um bom resultado, mas tocou em Mark Webber nos primeiros metros da disputa e foi punido com um stop-and-go.

“É um ciclo”, disse o franco-suíço. “Aconteceu um acidente, depois mais alguns e nem sempre eu fui o responsável, só que a coisa só piora”, falou, antes de reconhecer que sua autoconfiança acabou abalada com os sucessivos problemas: “Estou tentando recuperar isso e, como eu disse, estou tentando ter largadas normais e tudo voltará ao normal”.

Grosjean considera a largada que fez em Yeongam “o primeiro passo para uma nova postura” e vai manter o mesmo raciocínio na Índia. “Foi bastante importante para mim, para a equipe, para todos, marcar pontos e chegar ao fim depois de uma corrida forte”, avaliou o campeão de 2011 da GP2.

Aparentemente garantido na Lotus no ano que vem – Éric Boullier, chefe da equipe, já declarou que o contrato está pronto e espera pelo momento certo para assinar –, Grosjean agradeceu ao time de Enstone pela atenção e pela paciência. “A fé que a equipe demonstrou em mim foi muito importante em um momento difícil”, ressaltou. “Fico feliz por estar aqui e é onde eu acho que vamos passar um bom tempo juntos. Essa é a ideia”, acrescentou o oitavo colocado no Mundial de Pilotos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube