Grosjean liga para Hamilton, conversa sobre protestos na F1 e admite: “Ele estava certo”

Lewis Hamilton reclamou do papel de Romain Grosjean na diminuição dos protestos antirracistas da Fórmula 1 na Hungria, então o francês ligou para uma longa conversa com o hexacampeão. Segundo Grosjean, o objetivo não é acabar com as manifestações, mas contar com todos os 20 pilotos do grid

Após um GP da Hungria em que a manifestação de pilotos ajoelhados, liderada por Lewis Hamilton, ser abafada pela falta de clareza no procedimento e o hexacampeão criticar a Fórmula 1 e Romain Grosjean, o francês se manifestou. Quase duas semanas se passaram, mas o piloto da Haas revelou uma ligação para Hamilton nos dias seguintes e admitiu que o inglês tinha razão.

Grosjean, que é o atual diretor da Associação de Pilotos, justificou que não está contrário a ajoelhar, mas que, no papel de diretor, precisava ouvir os que discordam da manifestação. Para seguir as manifestações, quer uma clareza maior do Liberty Media quanto ao procedimento. E foi além: compartilha o desejo de Hamilton de ver os 20 nomes do grid se ajoelhando juntos em algum momento.

“Foi uma boa conversa com Lewis. Eu disse que sentia muito, talvez eu tenha tratado da maneira errada, mas sentia que precisa fazer naquele momento. Na GPDA, trabalhamos com um sistema de votação pela maioria, e senti que se eu, como diretor, não escutasse os pilotos que não estavam felizes em seguir com aquilo, não estaria cumprindo minhas obrigações”, refletiu.

“Lewis mencionou que, como sou um dos diretores, eles me escutam e esse era o ponto dele. E acho que ele estava certo nesse aspecto”, continuou.

“Foi uma ótima ligação. Eu também não gostei de como a história saiu na imprensa, nas minhas redes sociais tinha muitas coisas sobre racismo e gente dizendo que eu era racista, coisas assim, e isso é absolutamente errado”, seguiu.

“Não acredito que você vai encontrar ninguém no mundo que dirá que eu já fiz algo nessa direção, então não fiquei feliz em ser tratado assim. Fui um dos primeiros a apoiar e sugerir que ajoelhássemos. Ainda estou otimista que um dia faremos os 20 pilotos ajoelhar no grid, acho que vai acontecer em algum momento”, afirmou.

“Para os pilotos é difícil organizar movimentos em um evento, porque são muitos aspectos para avaliar, então queríamos maior ajuda do Liberty e um procedimento claro, antes da corrida, como fizemos na primeira corrida na Áustria. Creio que isso irá acontecer e ficará mais claro para todos nós”, finalizou.

O otimismo do francês diz respeito à corrida deste fim de semana, na Inglaterra, onde os pilotos esperam uma cerimônia clara para que se manifestem.

O GRANDE PRÊMIO transmite AO VIVO e em TEMPO REAL todas as atividades do fim de semana do GP da Inglaterra, quarta etapa da temporada 2020 da Fórmula 1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube